Linha Livre com Geraldo Castro | Arquivo por Viagra
Quinta-feira, 16 de setembro de 2021.

O velhinho e o Viagra!

Nesta vida somos surpreendidos com cada acontecimento que mais tarde torna-se em história e até piada passado algum tempo, e em reuniões de amigos sempre o episódio volta a ser comentado.

Hoje já existem muitas fórmulas para tratamento de disfunção erétil com vários medicamentos que devem ser receitados por especialistas, mas são utilizados em abundância por criaturas em todas as partes do mundo.

Eu conheço e tenho um amigo que sempre foi um verdadeiro “garanhão” e se gabava de suas qualidades na prática do sexo e que nunca tinha falhado na hora agá.

Ledo engano. O velhote já chegando aos 60 anos começou a notar que sua potência estava diminuindo, e em algumas oportunidades chegou mesmo a faltar combustível necessário na máquina que acabou parando.

O medicamento foi aprovado pela Food and Drug Administration (FDA) americana em 27 de março de 1998, tornando-se o primeiro comprimido a ajudar os homens a ter uma ereção.

O nome do milagre: Viagra, uma pílula azulzinha que veio para reanimar aqueles que já tinham se despedido dos prazeres sexuais. Uma verdadeira festa, principalmente para os mais velhos, mas também aproveitada por jovens que esperavam um melhor desempenho.

Explicado isso, vamos aos fatos e acontecimentos do nosso personagem, que ainda está vivo e usufruindo dos diversos colegas do azulzinho. O cara conseguiu no câmbio negro, um comprimido do Viagra e saiu com uma jovem, indo até um chatô na Avenida Ana Janssen, (não existe mais) e começou o ato, turbinado pelo medicamento, o velhote tava que tava, todo serelepe e fazendo bonito.

Não deu outra. A moça vendo a empolgação do dito cujo, apressou o rebolado e o cara começou a gemer, não de prazer, mas com os olhos virando, as pernas tremendo, a palidez e o suor escorrendo, numa verdadeira ânsia de morte.

Foi salvo pelo gongo. A jovem olhou pra trás e viu a agonia do velhinho que já estava nas últimas. Pegou o ventilador e deitou o coroa que escapou fedendo, pra não morrer cheiroso.

Hoje, muito anos depois, o coroa continua sua saga, mas agora devidamente orientado por médicos e só compra os medicamentos com receita, avisando sempre suas companhias, pra qualquer problema ligar pra seu grande amigo, deixando o celular já devidamente agendado no número do seu velho parceiro.

Êta mundo velho de surpresas e reviravoltas. Hoje essa passagem é comemorada com muita risada e bom papo, sempre numa rodada de puro malte.

 

 

sem comentário »