Linha Livre com Geraldo Castro | VIANA, uma cidade entregue à própria sorte
Domingo, 27 de setembro de 2020.

VIANA, uma cidade entregue à própria sorte

Este é o estado atual do Casarão Amarelo, referência nacional de Viana-Ma.

Afastado do meu labor na Rádio Mirante AM onde apresento o Abrindo o Verbo e o Rádio Mania, dois programas de grande audiência, tirei uns dias e fui para a Baixada Maranhense, minha terra querida de onde vieram meus avós, e fiquei por lá por mais de 15 dias, curtindo o calor da cidade de Cajari, comendo peixe da água doce e dormindo.

Vez por outra saía para passear e quase sempre me dirigia à vizinha cidade de Viana, conhecida também com Cidade dos Lagos, Princesa da Baixada, terra de gente boa, hospitaleira.

Mas dessa vez me decepcionei, não com a cidade, mas com a administração pública, que transformou o município num verdadeiro caos com a sede largada à própria sorte, a população revoltada, haja vista a falta de limpeza pública, ruas esburacadas, esgoto correndo a céu aberto entre outras mazelas.

Prédio histórico, sede da prefeitura de Viana

Não fosse o imenso patrimônio histórico e cultural e os grandes nomes de nativos daquele lugar, hoje quem não conhece a cidade, ao chegar poderia dizer que é uma das mais feias da Baixada Maranhense. Completamente abandonada pelo Poder Público, Viana vive dias sombrios, inclusive na área de segurança pública com mortes violentas e crimes insolúveis.

Só pra se ter uma ideia, a entrada da cidade é completamente esburaca, desde a MA-014, até a rodoviária, a avenida é cheia de buracos, o que deixa uma impressão ruim e do descaso do gestor com a coisa pública. Nem mesmo tapar os buracos, o prefeito consegue.

Não foi essa a Viana que conheci desde a década de 1990 quando fui a primeira vez fazer cobertura de futebol no estádio Djalma Campos, filho ilustre da cidade. Não foi essa a Viana do prefeito Messias Costa, de Chico Gomes, de Walber Dualibe, de Daniel Filho.Não, não foi.

A Viana que conheci e tenho esperança de mudanças para melhor, está imortalizada nesta bela canção de Beto Pereira;

Eu vi ana na janela

Olhando a lua

Admirando o corpo dela

Estava nua

Ai,ai,ai

Que bela criatura

 

O brilho do teu olhar

É como estrela vermelha

Clareou o céu azul

E iluminou américa do Sul

E neste mesmo dia encantou

Meu coração

E quase morre de amor

E inspirou essa canção

 

(refrão)

 

Ana e a lua

Lua e Ana

Ana e a lua

Lua e Viana.

É preciso cuidar do inestimável patrimônio histórico, pois Viana é uma das cidades mais antigas do Maranhão, terra de muitos intelectuais, artistas, políticos, empresários e figuras importantes na história do nosso estado.

Ao povo vianense cabe saber escolher seu próximo gestor, pois este que lá está jogou a cidade na penumbra, transformando-a num lugar feio, descuidada, abandonada. Que o povo saiba dar o troco ao Maugrado que foi feito com a Princesa dos Lagos!

DADOS DE VIANA

Viana é um município brasileiro localizado na Baixada Maranhense, estado do Maranhão. Sua população em 2019 foi estimada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) em 52.441 habitantes,[2] distribuídos em 1.166,745 km² de área. A cidade de Viana é a quarta mais antiga do Maranhão e teve sua origem na aldeia Guajajara de Maracu, que começou a ser povoada pelos missionários da Companhia de Jesus em 1709.

 

Hoje Viana conta com dezenas de estabelecimentos comerciais: lojas de móveis, eletrodomésticos, supermercados, restaurantes, distribuidoras de alimentos, farmácias, óticas, hotéis, clínicas particulares (para pequenos exames médicos), lojas de vestuários (roupas e calçados), lojas do ramo agropecuário, lojas de revenda de motocicletas, lojas de auto-peças, padarias, mercado público (conhecido como feira da Barra do Sol), correspondentes bancários e financeiras, vários açougues, salões de beleza, armarinhos, escolas, pizzarias, pequenas lanchonetes, etc. É a maior cidade da região dos Lagos Maranhenses. Depois da cidade de Pinheiro, é a segunda maior cidade da região da Baixada Maranhense.

 

É o principal centro comercial e de serviços da Região dos Lagos Maranhenses. Seu centro comercial é o mais movimentado de toda região e conta com agências do Banco do Brasil, Bradesco, Banco do Nordeste, Agência dos Correios e Caixa Econômica Federal, além de 02 agências Lotéricas. Recentemente o município por ser pólo da Região dos Lagos, foi contemplado com um IFMA (Instituto Federal de Educação do Maranhão).

 

Sua economia gira em torno do comércio varejista e atacadista, agricultura (destaque para a produção de farinha de mandioca e arroz), pecuária (destaque para a criação de búfalos), pesca artesanal e comercial, e prestação de serviços em geral. O município é sede da [Região de Planejamento dos Lagos] que compreende os municípios de Penalva, Cajari, Matinha e Olinda Nova do Maranhão. (Lei Complementar 108/2007).

 

O rio Maracu (também chamado de canal do Maracu), um dos mais importantes da Baixada, tem como função conduzir a água do lago Viana para o rio Pindaré e ocasionalmente permitir a entrada de água salgada procedente da baía de São Marcos, através das marés altas, trazendo cardumes para o lago. O lago de Viana é conectado ao lago Cajari por meio do rio Cajari.

Texto: Geraldo Castro

Informações : Wikipédia

 

Sem comentário para "VIANA, uma cidade entregue à própria sorte"


deixe seu comentário