Segunda-feira, 20 de janeiro de 2020.

Eu e a cidade de Cajari

A primeira vez que fui ao município de Cajari na Baixada Maranhense foi exatamente há 13 anos, em 15 de novembro de 1999 quando foi fazer uma visita a Idonéa dos Santos Furtado, hoje minha esposa, companheira leal de todos os momentos. Neste mesmo ano passei as festas natalinas naquela cidade e até mesmo a virado do ano.

Daquele momento até hoje sempre procurei respeitar as pessoas da cidade, e comecei a construir amizades, tendo muitas pessoas que gostam de mim, respeitam e aceitam a minha presença sem qualquer problema. Ao conhecer o município participei da vida política e claro, vi os descasos de administrações passadas que pouco ou quase nada fizeram para melhorar aquela localidade.

Mas deixa isso para lá, pois não interessa no momento este assunto, que não cabe a mim resolver. Entretanto, na eleição municipal deste ano, em plena campanha política, tenho sido alvo de algumas agressões verbais por parte de alguns membros da coligação encabeçada pelo candidato do PR, Abraão Davi Marques.

Não falam para mim, mas sim espalham boatos, comentários contra a minha pessoa, como se fosse eu o candidato a prefeito. Não sou candidato a nada. Sou eleitor de Cajari e votarei em quem eu quiser afinal o voto é livre, e só ao eleitor cabe votar sem pressão, sem intimidação e sem medo, e eu não tenho este sentimento.

Desde minha chegada a Cajari tenho me empenhado junto ao governo do estado, pela construção da estrada que liga a cidade a MA-014, principal via da Baixada Maranhense. A MA-317 foi feita em um primeiro momento, mas não resistiu e hoje os moradores sofrem com uma rodovia em estado precário, mas com a promessa de ser reconstruída pelo governo.

Vou votar no dia 7 de outubro em quem eu bem entender e não aceito nenhum tipo deste ou aquele cidadão em querer manobrar minha vontade, pois sou consciente do que faço então não me intimido, não tenho medo de agressão, pois sei me defender, mesmo procurando sempre ser pacífico e ordeiro.

ESCLARECIMENTOS

 

Na semana passada fiz uma denúncia no programa Abrindo o Verbo, por mim apresentado na Rádio Mirante AM, sobre a ação da Secretaria de Meio Ambiente do Estado, onde o superintendente de fiscalização da mesma esteve sobrevoando a cidade de Penalva e depois aterrissando em Cajari para realizar a interdição do restaurante Aqqua Play Eco Turismo, sob a alegação de que a construção está fora dos padrões. O dono do empreendimento Zeka Cutrim residente em Brasília, mas nascido na cidade, destacou que tudo está dentro das normas técnicas exigidas, e se há algo irregular, a própria Sema não foi fiscalizar na etapa de construção.

Na oportunidade disse no programa que a primeira denúncia contra o empreendimento teria sido feita pelo atual candidato de oposição, pois boatos davam conta de ser o empresário, apenas “laranja” do atual prefeito Joel Dourado Franco.  Bom, neste mesmo dia recebi alguns telefonemas, sendo um deles do vereador Adalton, querendo fazer uso da palavra, mas por lei sua participação é vetada. O edil parece ter entendido a posição do apresentador, mas o mesmo não aconteceu com um irmão do candidato Abraão Davi (PR), que se identificou pelo nome de Chiquitinho e por mim atendido transformando o que poderia ser um diálogo, em ameaças e insultos contra minha pessoa, inclusive dizendo que; “tu só fala grosso na rádio e não tem coragem de enfrentar ninguém. Quero ver quando chegar aqui em Cajari frente a frente comigo como homem”.

Bem, cabe aqui deixar alguns esclarecimentos sobre o assunto, pois já recebi diversos telefonemas de várias pessoas da cidade, até do próprio grupo do senhor Abraão Davi, de que estou jurado por Chiquitinho, de uma surra, como se eu fosse um “cachorro morto” e fosse indefeso. Os fatos:

1)    A Coligação do candidato Abraão Davi Marques enviou ao Departamento Jurídico da Rádio Mirante AM, pedido de “Direito de Resposta”, que está em análise.

2)    Não tenho e não temerei nenhuma ameaça de qualquer pessoa, pois não ameaço ninguém, estou em um país livre e democrático, e se sofrer qualquer tentativa de agressão, saberei me defender e procurarei as autoridades competentes para denunciar tal fato.

3)    Estarei na cidade de Cajari no dia 7 de outubro para cumprir o meu dever de cidadão na eleição municipal que escolherá o novo prefeito e os novos vereadores, respaldado pelo artigo 5º da Constituição Federal, que me garante o livre direito de ir e vir e poder expressão meu pensamento, tanto como cidadão ou como profissional do rádio, jornal e blog.

4)    Assim, deixo claro, que qualquer que seja o candidato vencedor, na eleição de Cajari, não deixarei de frequentar a cidade, pois tenho família, haja vista ser casado com uma filha do município, acima de tudo, respeitando a vontade do povo e do eleitor que vai escolher seus administradores.

5)    Que não fique nenhuma dúvida; já comuniquei o teor do telefonema ameaçador do irmão do candidato Abraão Davi, às autoridades competentes, pois sou de paz, mas sei me defender.

 

Sem comentário para "Eu e a cidade de Cajari"


deixe seu comentário