Sábado, 25 de junho de 2022.

Na tribuna da Câmara, Hildo Rocha enaltece gestão premiada da prefeita Thalita Dias

Em pronunciamento na tribuna da Câmara Federal, o deputado Hildo Rocha repercutiu a premiação concedida à prefeita de Água Doce, Thalita Dias, pelo bom desempenho na área educacional. Mais uma vez, o município foi premiado na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas, versão 2021.

Hildo Rocha enfatizou que o bom desempenho da administração da prefeita Thalita Dias está sendo exemplo para os demais Municípios da região do Baixo Parnaíba.

“No setor da Educação, assim como vários outros setores, a prefeita Thalita, juntamente com a nossa querida amiga Rosaria, estão fazendo um belíssimo trabalho. Prova disso é que, mais uma vez, estudantes da rede municipal e professores de Água Doce foram premiados na disputadíssima Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas, versão 2021”, destacou Hildo Rocha.

Alunos, escolas e professores premiados 

Foi premiada a escola municipal Pedro Mariano Moreno. Também foi premiado o Prof. Francisco Adrivan Silva Nascimento. Receberam medalha de bronze a aluna Amanda Almeida Silva e o aluno Cauã Brandão Pereira. O aluno Gustavo Vilar Brandão recebeu medalha de ouro, pelo segundo ano consecutivo.

“Portanto, parabenizo a administração da Prefeita Thalita Dias por mais essa conquista na área educacional, mais uma premiação que orgulha a população de Água Doce. Parabenizo também a Secretária de Educação, minha amiga Rosária pelos excelentes resultados que colocam o município entre os melhores do Maranhão, no setor da Educação”, enfatizou Hildo Rocha.

sem comentário »

Em palestras no Rio Grande do Sul, Hildo Rocha defende a indústria nacional e visita fábricas que trabalham com economia de combustível e descarbonização

Deputado Hildo Rocha proferiu palestra, na Câmara da Indústria e do comércio de Caxias do Sul, sobre o sistema de transportes do Brasil

Atendendo convite de entidades empresariais do ramo de transportes rodoviário e ferroviário, o presidente da Comissão de Viação e Transportes, deputado federal Hildo Rocha, participou de eventos no Rio Grande do Sul, proferiu palestras, defendeu o fortalecimento da indústria nacional e visitou indústrias localizadas em Municípios do Rio Grande do Sul, que desenvolvem tecnologias voltadas para a melhoria do transporte rodoviário e ferroviário.

Caminhão elétrico, VLT 100% nacional e ônibus movido a gás metano 

 

Na fábrica da Rondon, em Caxias do Sul, com diretores da empresa e o ex-deputado federal do Rio Grande do Sul, Mauro Pereira

Hildo Rocha foi recebido por executivos da Randon, empresa que avançou bastante na construção de um caminhão que possui motor elétrico em um dos eixos. Essa inovação proporciona diminuição de consumo de óleo diesel em 20%.

Na fábrica de ônibus elétrico da Marcopolo, em Caxias do Sul, com diretor de produção da empresa

 

Na visita à Marcopolo, o parlamentar maranhense conheceu um ônibus elétrico, um VLT 100% nacional. Hildo Rocha também visitou a fábrica da Agrale empresa que desenvolveu caminhão e ônibus movidos a gás metano, o que faz com que tenhamos solução para o lixo e enorme economia de combustível.

Na fábrica de VLT e ônibus da Marcopolo, em Caxias do Sul, com diretores da empresa e o ex-deputado federal do Rio Grande do Sul, Mauro Pereira

Na fábrica da Marcopolo, em Caxias do Sul, onde são fabricados ônibus elétricos biarticulados, com o diretor de produção da empresa e o ex-deputado federal do Rio Grande do Sul, Mauro Pereira

Serviços eficientes com menor custo 

Hildo Rocha enfatizou que a saída para os entraves do setor está no desenvolvimento de tecnologias e inovações. De acordo com o parlamentar, é animador constatar que a indústria nacional desenvolve tecnologias e produtos que proporcionam economia e eficiência no setor do transporte rodoviário e ferroviário brasileiro.

 

Na fábrica de ônibus da Agrale, em Caxias do Sul, com o diretor de produção da empresa e o ex-deputado federal do Rio Grande de Sul, Mauro Pereira 

 

 Ônibus movido a gás metano, fabricado pela Agrale, em Caxias do Sul

“Esse é o caminho, essa é a saída. São iniciativas como essas que devem ser estimuladas porque geram empregos, são sustentáveis e fortalecem a economia nacional. Há um esforço muito grande, por parte das indústrias do setor, que tem como objetivo desenvolver produtos que reduzem o consumo de combustível e eliminam a emissão de poluentes, processo conhecido como descarbonização. Os exemplos que vi, durante a visita aos municípios do Rio Grande do Sul, são animadores”, declarou o parlamentar.

Adequação da legislação brasileira 

Na Câmara da Indústria do Comércio de Caxias do Sul, com diretores da entidade: Fábio Vanin (diretor de infraestrutura); presidente da CIC Caxias Celestino Oscar Loro, José Martins (executivo), Ruben Bisi (diretor de operações Internacionais na Marcopolo) e Mauro Pereira, ex-deputado federal do Rio Grande do Sul

 

Hildo Rocha enfatizou que a realidade exige uma atualização da legislação referente ao setor de transporte rodoviário nacional. “Os eixos elétricos, inovação tecnológica desenvolvida pela Randon, que proporcionam economia de 20% é algo maravilhoso porque contribui para a diminuição do custo do frete, proporcionando benefícios diretos para os consumidores. Entretanto, a nossa legislação precisa ser atualizada para permitir livremente o uso desse tipo de eixo. Vamos aprimorar as leis para que os prestadores de serviços possam trabalhar com a certeza de que não terão prejuízos provocados por eventuais falhas na legislação”, comentou.

Veículos mais leves, resistentes e seguros 

O parlamentar também destacou a utilização de nióbio na produção de peças que tornam os veículos mais leves, mais resistente e mais seguros.

“A Randon já instalou uma indústria que vai utilizar Nióbio em grande escala. Isso vai possibilitar a diminuição do preço da matéria-prima utilizada na fabricação de veículos e carretas porque as peças, os para-choques, por exemplos, serão mais baratos, mais leves e mais resistentes”, sublinhou Hildo Rocha.

sem comentário »

Canabidiol já pode ser comprado no Brasil

Canabidiol (CBD) é apenas uma das centenas de substâncias encontradas na Cannabis, planta popularmente conhecida como maconha. O plantio, a venda e o uso da folha em seu estado natural, são proibidos no Brasil e em vários países do mundo. No entanto, estudos recentes reforçam que existem alguns componentes que garantem diversos benefícios para a saúde e o bem-estar.

 

 

Um deles, denominado (em tradução livre) “Canabidiol e desempenho esportivo: uma revisão narrativa de evidências relevantes e recomendações para pesquisas futuras” foi publicado pela revista científica Sports Medicine. E revelou que o uso do CBD tem efeitos fisiológicos, bioquímicos e psicológicos potencialmente benéficos para os atletas.

 

 

“O uso do CBD antes do treino diminui o estresse em aproximadamente 80% e aumenta a concentração na atividade física. Após a atividade, o uso do canabidiol ajuda a diminuir a dor e acelerar a recuperação muscular graças às suas propriedades analgésicas, anti-inflamatórias, regeneradoras e relaxantes da musculatura, eliminando também as câimbras”, explica a médica Maria Teresa Jacob, que trabalha com o tratamento de dor crônica há mais de 20 anos e é atuante em medicina canabinóide.

 

 

Vale lembrar que esses benefícios são exclusividade do canabidiol, uma substância retirada da maconha. O uso indiscriminado da planta, em seu estado natural, não garante nenhuma dessas vantagens e ainda pode causar efeitos alucinógenos. De acordo com a Dra. Jacob, os sintomas psicomiméticos da Cannabis estão ligados, principalmente, ao tetrahidrocanabinol (THC) e não ao CBD.

 

 

Esse é um dos fatores que motivou a Agência Mundial Antidopagem (WADA) a retirar, em 2018, o canabidiol da lista de substâncias proibidas em competições oficiais, como os Jogos Olímpicos, por exemplo. “Outro ponto importante é que o CBD melhora o sono e, atualmente, está bem estabelecida a importância do sono na regeneração muscular e diminuição do estresse”, reforça a médica.

 

 

No Brasil, alguns medicamentos à base de canabidiol já foram liberados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e podem ser utilizados para o tratamento de dores, distúrbios mentais, doenças neurológicas e outras patologias.

 

 

No entanto, o aproveitamento do CBD para potencializar os resultados esportivos, ou para qualquer outra finalidade, depende de avaliação e recomendação profissional. “O uso deve ser sob prescrição médica, feita por profissionais com especialização em sistema endocanabinoide e em cannabis medicinal”, finaliza a Dra. Jacob.

 

 

sem comentário »

Por iniciativa do deputado Hildo Rocha Câmara Federal vai debater problemas da rodovia que liga Rosário a Barreirinhas

A precariedade da estrada e a falta de fiscalização por parte da Polícia Rodoviária Federal, entre outros problemas, serão debatidos em audiência pública que será promovida pela Comissão de Viação e Transportes. O deputado federal Hildo Rocha, autor do requerimento, explicou que a BR-402 é uma rodovia importantíssima para a economia do Maranhão.

“A BR-402 é a principal via terrestre de acesso aos Lençóis Maranhenses, um dos principais atrativos turísticos do Maranhão e do Brasil. Mas, lamentavelmente, essa estrada está abandonada, sem manutenção, sem fiscalização, sem segurança. Essa situação não pode continuar assim. Por esse motivo, solicitei a realização de audiência pública para que possamos discutir os problemas e encontrar soluções para as questões que levaram a BR-402 ao estado de calamidade em que a estrada se encontra”, destacou Hildo Rocha.

Região turística vulnerável por falta de segurança 

De acordo com o parlamentar, os municípios da região que são banhados pelo oceano atlântico podem ser portas de entradas para o tráfico de drogas, armas e contrabandos, entre outros ilícitos.

“Sem a presença da Polícia Rodoviária, traficantes e contrabandistas agem com desenvoltura pois sabem que não terão problemas. Dessa forma, a população local e os turistas que trafegam por essa rodovia ficam totalmente vulneráveis, inseguros, correm risco de serem vítimas de violência. Essa é outra questão crucial que também será discutida durante a audiência pública”, ressaltou.

Rota das Emoções 

A BR-402 possui 703,5 km de extensão. Inicia na cidade de Bacabeira, no Maranhão, e se estende até Umirim, no Ceará. Boa parte do roteiro turístico chamado de “Rota das Emoções”, com cerca de 500 quilômetros, é percorrido pela BR-402.

A Rota das Emoções é um roteiro turístico que oferece natureza exuberante, cenários ímpares e envolvimento com a cultura de 14 municípios: Jijoca de Jericoacoara, Barroquinha, Camocim, Chaval e Cruz no Ceará; Parnaíba, Ilha Grande, Luís Correia e Cajueiro da Praia, no Piauí e Barreirinhas, Paulino Neves, Araioses, Tutóia e Santo Amaro do Maranhão, no Maranhão.

Participantes 

Serão convidados dirigentes da Polícia Rodoviária Federal, Departamento Nacional de Infraestrutura do Transporte (Dnit), representantes do governo do Maranhão, prefeitos e vereadores dos municípios maranhenses prejudicados pela situação atual da rodovia e representantes de entidades da sociedade civil, entre outras organizações.

sem comentário »

BOCA NO TROMBONE – edição de terça-feira

E veja só o cúmulo do ridículo. Um tal de Capelli que veio lá  não sei de onde se danou a reclamar da pesquisa da Exata publicada no jornal o Imparcial que aponta o senador Wewerton Rocha na frente do governador Carlos Brandão.

A pesquisa mostra Wewerton Rocha(PDT) com 29% contra 24% de Carlos Brandão(PSB) isso no primeiro cenário, enquanto Lahésio Bonfim(PSC) tem 14%. Esses são os principais nomes na corrida palaciana.

Então o tal Capelli foi pras redes sociais chiar contra a pesquisa, dizendo que a Exata errou na eleição de prefeito que elegeu Braide contra Duarte Jr.

Só mesmo no Maranhão é que “peru” de fora se mete na conversa dos outros, é o que acontece com este “persona non grata” que é contumaz em querer desmerecer o trabalho e censurar quem não faz o que ele quer. Sai pra lá Capela.

++++++

Grande festa foi realizada pelas mulheres que dão apoio ao senador Wewerton Rocha(PDT) na noite de segunda feira que teve como destaque a prefeita de Lago da Pedra, Maura Jorge que ratificou seu apoio ao candidato do PDT na sua caminhada nestas eleições. Aliás, Maura Jorge surge como uma grande força na política maranhense consolidando o seu crescimento no cenário estadual.

++++++

O senador Roberto Rocha usou suas redes sociais para informar que o motorista causador de atropelamento de várias pessoas em frente ao Ilha Shopping, não é mais seu assessor como foi dito em várias publicações. De acordo com Roberto o motorista já estava desligado do seu gabinete há algum tempo. Deu a resposta a quem falou o que não deveria.

++++++

Vem aí o meu espaço no YouTube no próximo mês de julho quando completo 49 anos de profissão de radialista, jornalista, repórter, comentarista esportivo, enfim trabalhando sempre em prol da comunidade. Aguardem !

sem comentário »

Em Amarante, grupo Gildásio faz lançamento da pré-candidatura de Hildo Rocha a deputado federal

O médico e ex-prefeito Dr. Gildásio, promoveu uma reunião para anunciar apoio à pré-candidatura de Hildo Rocha a deputado federal. O encontro aconteceu na residência do médico e contou com a participação de vereadores e ex-vereadores de Amarante e lideranças de inúmeros municípios da região. Na ocasião, também foi anunciado o nome de Janaina Ramos como pré-candidata a deputada estadual do grupo político do Dr. Gildásio.

Participaram do evento: Dr. Gildásio, o deputado federal Hildo Rocha, a primeira-dama de Imperatriz, Janaína Ramos e os vereadores Netinho e Antonio Dantas; os ex-vereadores Azevedo, Antonio Alberto, Benta, Mauro Marinho, Magno e Gerson Constantino e diversas lideranças indígenas entre elas a Marinete Guajajara, Suluene Guajajara e Edivaldo Gavião. 

 

Servidores públicos, Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias, sindicalistas e líderes de inúmeras comunidades rurais também prestigiaram o ato que teve ainda a participação de Caboquinho, do Campo Formoso; Edinaldo, da comunidade Cipó Branco; Válber, do Jabuti; Jaconias do Assentamento Ouro Preto; Bibiu, Dona, Zé Damião e Dona Iracema, do povoado Cikel; Walter, da Jurema; Bento do Mundo Novo e Edivaldo, do Grotão; Sr. Porta Fechada e Moringa, do Assentamento Alvoradinha. O ex-prefeito de São João do Paraíso, Zé Aldo e o ex-vereador Azeitona, de Açailândia, também participaram do ato.

Parlamentar cumpridor dos seus deveres 

Dr. Gildásio destacou que o grupo político que ele lidera decidiu apoiar novamente o Hildo Rocha porque o trabalho que o parlamentar tem realizado em favor do município é marcante.

 

Deputado Hildo Rocha e Dr. Gildásio

“Por meio das suas ações, o deputado Hildo Rocha trouxe, e continua trazendo, benefícios relevantes para a população de Amarante. Hildo Rocha é um parlamentar atuante que está sempre presente, visita as comunidades, conversa com a população, ouve as demandas do povo e participa, conosco, dos nossos movimentos políticos. Portanto, em razão dessa eficiente atuação, desse companheirismo, nós decidimos apoiá-lo e reunimos um numeroso grupo de pessoas para anunciar apoio à sua pré-candidatura a deputado federal, pois nós temos a certeza de que Hildo Rocha é cumpridor dos seus deveres, honra os compromissos que assume e cumpre com o que promete”, afiançou Dr. Gildásio.

Homem de palavra 

O ex-vereador Azevedo, político experiente, detentor de grande conhecimento político regional e colecionador de vitórias, também explicou por que apoia a pré-candidatura de Hildo Rocha para deputado federal.

sem comentário »

Anjo ou Demônio? Parte 2

Um pouco mais da demissão de Geraldo Castro do Grupo Mirante, onde prestou serviço por 33 anos.

Lá se vão mais de dois meses depois daquele fatídico dia em que tentaram jogar sua história no rádio maranhense na lata de lixo, e lhe tiraram o emprego que garantia o seu sustento e da sua família, hoje integras o quadro dos desesperançados.

 

Durante estes dias sei que pensastes muito em todos os acontecimentos tanto daquele dia, como os anteriores e posteriores, e agora, sabes que teve “armação” para destruir-te.

 

Os primeiros sintomas vieram ainda antes do fato, quando sentistes o afastamento de pessoas que antes estavam ligadas ao teu trabalho, e de repente foram se colocando mais distantes de você no dia a dia.

 

Sei que não queres te tornar vítima, pois tu mesmo já estavas vitimado pelo tempo de serviço, pelo cerco que faziam contra a tua pessoa. Teu nome é quase um insulto naquele local, e são poucos os que se atrevem a pronunciá-lo no ambiente de trabalho.

 

Por mais que um “porra caralho” tivesse o efeito de uma verdadeira bomba atômica, não seria motivo suficiente para um imediato afastamento, verbal, e depois a Justa Causa. Foram 33 anos em defesa de um grupo político, de uma família, sendo muitas vezes insultado por este posicionamento.

 

É meu grande amigo, podes não ser um Anjo, mas certamente não és um Demônio. Não, não és.

 

Ao que parece estás muito magoado, mas te conhecendo sei que não, pois tens um grande coração, és homem de perdão, só lamentas o não reconhecimento por tudo que destes de ti em prol deste grupo.

 

Sei que a parte mais dolorosa, foi quando te comunicaram a Justa Causa. Te humilharam, te constrangeram, e até mesmo a tua esposa, mulher feliz e alegre, sentiu “ranço” da maneira como aconteceu.

 

Te tomaram teu crachá para impedir sua entrada naquele ambiente,os trâmites foram agilizados para evitar sua presença naquele prédio. Te fizeram aceitar a quebra de sua estabilidade sindical, com a falta de pagamento de 12 meses ainda pendente.

 

“Ou aceitas as nossas condições, abrindo mão de 12 meses de sua estabilidade, ou receberás apenas o valor da Justa Causa” ou seja, quase nada, e mais uma vez cedestes à pressão.

 

Não és um Demônio, disso eu tenho certeza.

Estás mais para Anjo, também tenho certeza.

sem comentário »

BOCA NO TROMBONE

O que há de novo na cidade? Nada. Tudo igual como antes no “quartel do Abrantes”. Os mesmos problemas sem solução, os mesmo buracos, o transporte desorganizado, a falta de comando do prefeito, enfim, nada mudou.

+ Novo mesmo só os festejos de São João, que teve uma grande movimentação lá pras bandas do Espigão Costeiro para refastelamento dos novos ricos da península da Ponta D’areia. Pois mesmo sendo o tradicionalíssimo Boi da Maioba, só se via gente da classe média alta naquele dia.

 

Na época da ex-governadora Roseana Sarney, ela construiu vários Vivas e descentralizou os festejos juninos, levando aos bairros da cidade a oportunidade das pessoas das comunidades em assistir as brincadeiras sem precisar se deslocar para outros bairros. Agora tá do jeito que os “senhores da cultura” querem; só pra quem tem condições de sair de casa e ir até os locais determinados pelo poder público. Eita vidinha que não muda.

 

+ Uma perguntinha básica que não quer calar e que ninguém responde; se o Estado arrecada muito imposto, como é que o Maranhão continua sendo o mais pobre do Brasil? Alguém reponde?

 

E o Hospital da Criança? Quando mesmo que as obras serão concluídas? Cazumbraide declarou que vai gastar 10 milhões pra concluir as obras que se arrastam literalmente desde a gestão de EdH, e até hoje não terminaram. O atual mandão, rejeitou um convênio com o estado para a conclusão, segundo afirmou o ex-secretário Carlos Lula em entrevista a um programa de rádio.

 

 

 

 

 

 

 

sem comentário »

O futuro do rádio

Por Fernando MorgadoPesquisador, escritor e palestrante

Observatório da Imprensa

 

Rádio digital AM/FM

Por muitos anos, um grupo de ‘futurólogos’ pregava o fim de determinadas formas de comunicação toda vez que uma novidade tecnológica surgia. Várias possíveis vítimas já foram apontadas e o rádio – dado o seu grande alcance e tradição – sempre foi um dos alvos preferidos dessas profecias.

 Esses teóricos caíram em descrédito quando se comprovou – pela experiência prática em todos os principais países do mundo, incluindo o Brasil – que a evolução na forma de transmissão e consumo de conteúdo não é sinônimo de extinção de linguagens de comunicação.

 Assim, o rádio deixou de ser visto como uma mídia em queda e passou a ser encarado por investidores, anunciantes, profissionais e consumidores finais como um exemplo de renovação e bom aproveitamento das muitas novidades técnicas que apareceram, principalmente nas últimas três décadas. E mais: as novas tecnologias não apenas ajudaram na expansão do rádio como reforçaram vocações já possuídas por ele desde muito tempo.

O tão falado futuro do rádio, na verdade, começou com o advento do FM, que dobrou o número de emissoras até então existentes – com elevação da qualidade do som – e, com isso, aprofundou uma forte característica dessa mídia: a sua alta capacidade de segmentação. Seja a partir do foco num determinado estilo de programação, ou perfil de público, o rádio consegue oferecer soluções para os anunciantes que muitas outras mídias não conseguem.

 Outro passo importante foi dado com a chegada dos satélites, que permitiu a formação de redes nacionais e, com elas, a viabilização econômica de diversas emissoras de pequeno e médio porte em todo o país, dando novos contornos ao processo de integração nacional iniciado pelo rádio e posteriormente aprofundado pela televisão.

Variedade de opções e empregos

A popularização da internet, maior argumento empregado pelos ‘futurólogos’ citados no começo deste texto, acabou beneficiando o rádio sob os mais diversos aspectos:

** Trouxe de volta muitos ouvintes jovens que haviam perdido o hábito de usar aparelhos de rádio;

** Ilimitou o espaço para empresas ou mesmo pessoas comuns lançarem novas estações, transformando a internet num campo livre para o surgimento de novas músicas, locutores, programas e marcas que podem até, no futuro, ganhar espaço nos dials;

** Permitiu que os ouvintes de rádio com baixa qualidade de sinal pudessem ouvir um som mais limpo através dos seus computadores;

** Reforçou a interação que sempre existiu entre o locutor/comunicador e o seu público, que passou – através de e-mail, de salas de bate-papo e de redes sociais – a interferir instantaneamente na programação;

** Fez estações locais do mundo todo ganharem uma audiência mundial, ampliando o potencial de internacionalização que o rádio sempre teve e que é o objeto principal da paixão de pessoas como os dexistas – aqueles que, através dos seus aparelhos receptores, procuram ouvir programações dos lugares mais distantes.

A telefonia móvel – cujas ondas prejudicam, especialmente nas grandes metrópoles, a transmissão das ondas de rádio – também acabou ajudando as rádios em FM, pois, hoje em dia, praticamente todos os celulares recebem essas estações.

A chegada do rádio digital ao Brasil poderá possibilitar novos avanços, apesar das discussões em torno da robustez do sinal e do alto preço dos receptores.

 O rádio, cada vez mais, será encarado como uma ‘central de convergência de mídias’, onde, juntamente com o áudio, o ouvinte poderá receber textos e até fotos.

 No novo sistema, o som das emissoras AM recebe qualidade de FM e as FMs ganham som de CD. Cada frequência poderá ter até quatro programações simultâneas, o que aumentaria – e muito – a audiência alcançada, a variedade de opções para o anunciante e, por conseguinte, os empregos gerados pelo setor.

Fidelidade envolve credibilidade

Há também o rádio por assinatura via satélite, que é uma realidade bem-sucedida nos Estados Unidos. A Sirius, líder deste mercado, oferece mais de 130 canais de áudio digitais, com programações muito variadas, vinculadas a marcas importantes (como Disney, CNN, Fox, BBC, Playboy, Oprah e NFL) e com som impecável para os seus quase 20 milhões de assinantes.

Com toda essa evolução, vale a pena pensar: se o rádio está crescendo e se expandindo para novas plataformas, como será que as emissoras devem se posicionar enquanto marcas e negócios? A resposta está naquilo que o rádio verdadeiramente oferece e vai além de qualquer discussão relacionada com tecnologia de transmissão ou recepção de sinal – afinal, isso muda o tempo todo.

Quando se realizam pesquisas com o objetivo de detectar aquilo que os ouvintes sentem em relação a uma emissora, uma palavra sempre se destaca: pertencimento. 

A sensação de que aquela programação é feita ‘sob medida’, reforçada com a forte interatividade promovida tanto dentro quanto fora do ar, desperta no ouvinte a ideia de que aquela emissora ‘é dele’ e que, através dela, ele pertence a um grupo especial de pessoas. Essa identificação, mais forte no rádio que em outras mídias, é a base que constrói uma audiência fiel e confiante para consumir não apenas os conteúdos oferecidos pela emissora como também os produtos anunciados nos seus espaços comerciais. Afinal, fidelidade também envolve credibilidade: algo primordial para a obtenção de resultados junto aos ouvintes.

Pontos estratégicos da mente e do coração

Como se vê, mais do que vender tempo, uma rádio promove – e vende – relacionamento, seja entre pessoas, seja entre pessoas e empresas. 

Todos os grandes grupos de comunicação do mundo já atentaram para isso e estão trabalhando suas estações como marcas que promovem uma nova gama de relacionamentos e formas de transmissão de conteúdo que vão além, inclusive, da própria programação e se transformam, por exemplo, em eventos, mensagens de texto para celular, colunas em jornais, portais na internet e até programas de TV, sendo tudo sustentado por grifes multimídias que nasceram no rádio e que, de tão fortes, expandiram suas fronteiras de atuação.

As rádios – graças a toda a essa sensação de pertencimento falada anteriormente e às novas formas de distribuição que surgem a todo momento – têm atuado como líderes dessa nova forma de pensar e gerir negócios de mídia, o que reforça a sua importância para os tempos atuais e abre caminhos para um futuro baseado na convivência entre todas as linguagens de comunicação integradas a partir de marcas posicionadas em pontos estratégicos da mente e do coração dos ouvintes, leitores, internautas etc.

sem comentário »

Hildo Rocha se reúne com Ministro das Comunicações e defende simplificação para concessão de rádios comunitárias e RTR’s

O deputado federal Hildo Rocha se reuniu com o Ministro das Comunicações, Fábio Faria, a fim de discutir demandas de associações detentoras de concessões de rádios comunitárias. O parlamentar disse que foi procurado por gestores de algumas emissoras que pleiteiam solução para problemas administrativos referentes as renovações de concessões e novas concessões.

As rádios comunitárias são emissoras que pertencem a associações ou fundações que representam um público de uma pequena cidade, bairro ou vila. Segundo a lei de 1998, elas devem operar com uma potência máxima de 25 watts ERP e a torre deve ter o limite de altura de 30 metros. De acordo com dados da Associação Mundial de Rádios Comunitárias (Amarc), estima-se que existam entre 10 e 12 mil rádios comunitárias no Brasil, sendo apenas 4,5 mil autorizadas a funcionar regularmente.

“As rádios comunitárias prestam grandes serviços às comunidades onde elas estão localizadas, serviços de fundamental importância. As rádios comunitárias levam informações, notícias e entretenimento. Entretanto, em muitos municípios, diversas emissoras correm o risco de serem desativadas em razão de pendências burocráticas junto ao Ministério das Comunicações, órgão responsável pela concessão e fiscalização dessas emissoras. Assim sendo, solicitei reunião com o Ministro a fim de que possamos solucionar tais demandas de inúmeras emissoras comunitárias espalhadas pelo Maranhão”, explicou o parlamentar.

Novas concessões 

Hildo Rocha ressaltou que também pediu ao Ministro que autorize a liberação de novas concessões de rádio comunitárias e a liberação de novos canais de RTV.

“O raio de alcance das rádios comunitárias é pequeno, por essa razão, grandes áreas das cidades ficam sem cobertura, a população fica impossibilitada de contar com os serviços oferecidos pelas rádios comunitárias. Portanto, apenas uma os duas emissoras já não é o suficiente. Também tratei sobre concessões de sistema RTV”, destacou o deputado.

O Serviço de Retransmissão de Televisão (RTV) tem por finalidade possibilitar que os sinais da estação geradora sejam recebidos em locais por ela não alcançados diretamente ou alcançados em condições técnicas inadequadas.

As autorizações para execução do serviço de RTV poderão ser concedidas em caráter primário (canal protegido de interferências) ou secundário (canal sem proteção contra interferências).

Projeto de Hildo Rocha prevê aumento de potência das rádios comunitárias 

Hildo Rocha é autor do Projeto de Lei 7284/2017, que estabelece novos limites para potência de transmissão de rádios comunitárias. A proposta permite que as emissoras possam operar com potência de até 100 watts. O limite estabelecido pela legislação vigente é de apenas 25 watts. O Projeto do deputado Hildo Rocha foi apensado ao PL 7542/206 que também trata sobre o funcionamento de rádios comunitárias.

Geração de receitas para as rádios comunitárias 

Além das ideias defendidas pelo deputado federal Hildo Rocha, tramitam no Congresso Nacional outras propostas que têm como finalidade fortalecer as rádios comunitárias.

O PL 666/2019, do Senador Wewerton Rocha (PDT/MA), por exemplo, permite veiculação de publicidade institucional de interesse social e a divulgação de atos da administração pública. Ou seja, a ideia é assegurar às rádios comunitárias a possibilidade de obterem faturamento para que possam se manter em funcionamento.

sem comentário »