Linha Livre com Geraldo Castro
Terça-feira, 18 de maio de 2021.

O balãozinho que diz tudo! Por Flávio Dino, Brandão e Weverton Rocha

Do blog do Matias Marinho

Seguindo a dica do meu amigo Marco D’Eça, na sua postagem Imagens do dia: o que-tanto eles falam entre si?!?, segue o balãozinho de pelo menos uma das fotos postadas por ele, retratando um encontro do governador Flávio Dino (PCdoB) com o próximo governador do Maranhão, atual vice-governador Carlos Brandão, e com o senador Weverton Rocha (PDT, do Ciro Gomes).

O balãozinho fala por si só.

sem comentário »

Hildo Rocha continua luta em prol da conclusão das obras do Residencial Canto da Serra, em Imperatriz

Em nova visita ao Residencial Canto da Serra, no município de Imperatriz, o deputado federal Hildo Rocha constatou amais uma vez as obras estão paralisadas. O parlamentar lamentou, se comprometeu em dar continuada à luta em defesa dos beneficiários e destacou que as casas foram construídas em local inadequado, fato que ocasionou questões administrativas, exigindo readequação do projeto. Essas questões, de acordo com o parlamentar, são as principais causadoras do atraso na entrega das casas.

“É lamentável que essas casas ainda não tenham sido entregues para as famílias que deveriam ter sido beneficiadas por esse empreendimento. Essas casas não deveriam ter sido construídas neste local. Aqui é um terreno baixo, bastante úmido, a água que desce do morro causa alagamentos. Em razão desse problema, foi necessário construir canais de drenagem, obra cara e demorada”, destacou.

Ações em defesa do empreendimento 

A luta do deputado Hildo Rocha, em defesa dos beneficiários do Residencial Canto da Serra é notória. Um bom exemplo desse trabalho persistente e eficiente foi realizado pelo parlamentar no âmbito da Comissão Mista do Orçamento, em 2018, quando Hildo Rocha atuou como relator setorial da Habitação e, com muita habilidade, conseguiu assegurar recursos para a retomada da obra com alocação de novos recursos para poder fazer os canais de drenagem.

Além dessa conquista importante, Hildo Rocha realizou inúmeras ações com a finalidade de destravar o andamento da obra. “Irei, mais uma vez, me reunir com o Secretário Nacional de Habitação e com a diretoria da Caixa Econômica, com o objetivo de encontrarmos uma solução definitiva para as pendências do Residencial Canto da Serra”, afirmou Hildo Rocha.

A obra 

O projeto do conjunto habitacional Residencial Canto da Serra foi financiado pelo Programa Minha Casa Minha Vida, do Governo Federal. O projeto previa, inicialmente, a construção de 2.920 casas residenciais. Entretanto, houve uma readequação que reduziu para 2.800 unidades. Em decorrência de erros de projeto, questões judiciais e readequação do projeto, entre outras causas, vários prazos de entrega deixaram de ser cumpridos.

A longa espera é motivo de revolta e desconfiança por parte dos beneficiários do projeto. Não faltam motivos para tudo isso, afinal comparado com outros três conjuntos residenciais do Minha Casa Minha Vida, instalados na cidade de Imperatriz, o Canto da Serra é o mais caro, já consumiu aproximadamente 300 milhões de reais e, apesar do esforço do deputado Hildo Rocha ainda pairam muitas dúvidas acerca de quando as casas finalmente serão entregues.

“Vou convidar os colegas da frente parlamentar em defesa da habitação popular a fim de que juntos possamos trabalhar no sentido de concluir os vários empreendimentos habitacionais custeados com recursos do governo federal que se encontram na mesma situação do canto da Serra no Brasil inteiro”, enfatizou Hildo Rocha.

sem comentário »

Frota de navios a serviço da Vale recebe primeiro mineraleiro do mundo equipado com velas rotativas

Com projeto liderado pela empresa, a instalação da tecnologia melhora eficiência e reduz emissão de carbono.

 

A frota de navios a serviço da Vale contará, nos próximos dias, com o primeiro mineraleiro de grande porte do mundo equipado com sistema de velas rotativas (rotor sails). O VLOC (Very Large Ore Carrier) é um Guaibamax, de 325 mil toneladas de capacidade. São cinco velas instaladas ao longo da embarcação que permitirão um ganho de eficiência de até 8% e uma consequente redução de até 3,4 mil toneladas de CO2 equivalente por navio por ano. Caso o piloto mostre-se eficiente, estima-se que pelo menos 40% da frota esteja apta a usar a tecnologia, o que impactaria em uma redução de quase 1,5% das emissões anuais do transporte marítimo de minério de ferro da Vale.

 

 

São cinco velas instaladas ao longo da embarcação que permitirão um ganho de eficiência de até 8% e uma consequente redução de até 3,4 mil toneladas de CO2 equivalente por navio por ano.

As velas rotativas são rotores cilíndricos, com quatro metros de diâmetro e 24 metros de altura – equivalente a um prédio de sete andares. Durante operação, os rotores giram em diferentes velocidades, dependendo de condições ambientais e operacionais do navio, para criar uma diferença de pressão de forma a mover o navio para a frente, a partir de um fenômeno conhecido como efeito Magnus.

 

 

A instalação da tecnologia, fornecida pelo fabricante finlandês Norsepower, é um projeto liderado pela Vale, que contou com a parceria do armador coreano Pan Ocean para instalação em um de seus VLOCs a serviço da Vale. A empresa Shanghai Ship and Design Research Institute (SDARI) foi responsável pelo design e integração da vela com a embarcação. O estaleiro chinês New Times Shipbuilding construiu o navio já adaptado para receber as velas, que foram instaladas em outro estaleiro, o PaxOcean Engineering Zhoushan, também na China. O Guaibamax está recebendo os últimos ajustes e sairá da China nos próximos dias rumo ao Brasil, onde irá receber o primeiro carregamento de minério de ferro em um dos portos da Vale no país. A viagem dura, em média, 40 dias.

 

 

“Nossa equipe de engenharia naval tem estudos sobre o uso da tecnologia de propulsão a vento para nosso negócio desde 2016. Com o programa Ecoshipping desenvolvemos diversas parcerias de cooperação com o ITV (Instituto Tecnológico Vale), universidades e laboratórios no Brasil e Europa.  Para este projeto o objetivo era avaliar as melhores condições de operação das velas rotativas em nossa frota contratada, e também validar os ganhos dessa tecnologia em termos de redução do consumo de combustível e emissão de CO2”, explica o gerente de engenharia naval da Vale, Rodrigo Bermelho.

O navio escolhido estava na fila para ser construído e o tempo entre projeto detalhado até a fabricação e instalação do equipamento foi de um ano. Além dos testes em laboratório e análises numéricas, os técnicos estudaram a incidência de ventos na rota Brasil-China. “Percebemos que temos uma vantagem competitiva em relação aos nossos concorrentes: a rota Brasil-Ásia tem em média mais vento que a da Austrália-Ásia”, completa Bermelho. Segundo o gerente da Vale, foram feitos modelos em 3D de todos os portos da empresa, para analisar como seria feita a atração do navio. As velas reclinam para permitir a operação do carregador de navio. “Não há nenhuma interferência no carregamento”, afirma.

 

 

A tecnologia existe desde o século XIX, entretanto foi retomada com maior eficiência a partir da década de 1980 e só nos últimos anos passou a ser usada em navios de grande porte, como os de passageiros, cargueiros e petroleiros.

 

 

 

Meta Carbono

A operação do primeiro mineraleiro equipado com velas rotativas faz parte do Ecoshipping, programa criado pela área de navegação da Vale para atender ao desafio da empresa de reduzir suas emissões de carbono, em linha com o que vem sendo discutido no âmbito da Organização Marítima Internacional (IMO, na sigla em inglês). No ano passado, a companhia anunciou um investimento de pelo menos US$ 2 bilhões para reduzir em 33% suas emissões de escopos 1 e 2 até 2030. Anunciou ainda que irá reduzir em 15% as emissões de escopo 3 até 2035, relativas à cadeia de valor, das quais as emissões de navegação fazem parte, já que os navios não são próprios. As metas são alinhadas com a ambição do Acordo de Paris.

 

 

No início de junho, a Vale deverá receber o primeiro navio Guiabamax com air lubrication instalado. A tecnologia cria um carpete de bolhas de ar na parte de baixo do navio, permitindo reduzir o atrito da água com o casco. Expectativas conservadoras apontam para uma redução de combustível em torno de 5 a 8%, com potencial de redução de 4,4% das emissões anuais do transporte marítimo de minério de ferro da Vale.

 

 

Além disso, a Vale vem se preparando para a adoção de combustíveis alternativos. Dezenas de VLOCs de segunda geração já em operação foram projetados para futura instalação de sistema de gás natural liquefeito (GNL), incluindo um compartimento sob o convés para receber um tanque com capacidade para toda a viagem. O programa Ecoshipping está desenvolvendo um tanque multi-combustível, capaz de armazenar e consumir, no futuro, não só gás natural liquefeito (GNL), como metanol e amônia.

 

 

Segundo Bermelho, a adoção de tecnologias de eficiência energética como as velas rotativas e o air lubrication diminuirá a demanda de combustível por navio e facilitará a adoção de combustíveis de baixo carbono.  Um estudo preliminar para os navios da categoria do Guaibamax estima que a redução de emissões pode variar entre 40% a 80% quando movidas a metanol e amônia, ou em até 23% no caso do GNL.

 

 

Eficiência

Com a adoção de novas tecnologias e renovação de sua frota, a Vale tem investido fortemente para incorporar o estado da arte em termos de eficiência e de inovação ambiental na área de navegação. Desde 2018, a empresa opera com Valemaxes de segunda geração e, desde 2019, com os Guaibamaxes, com capacidades de 400 mil toneladas e 325 mil toneladas, respectivamente. Essas embarcações estão entre as mais eficientes do mundo e conseguem reduzir em até 41% as emissões de CO2 equivalente se comparadas com as de um navio capesize, de 180 mil toneladas, construído em 2011.

 

 

sem comentário »

Legado de Roseana Sarney, no setor da Saúde, é um dos fatores que contribuem para o bom êxito no combate à Covid-19, afirma Hildo Rocha

O deputado federal Hildo Rocha destacou, em pronunciamento na tribuna da Câmara, que os bons resultados obtidos no combate à Covid no Maranhão, devem-se ao legado deixado pela ex-governadora Roseana Sarney e pelos prefeitos que também têm se dedicado ao combate à Covid.

“A Revista Veja, deste fim de semana, publicou matéria sobre o combate à Covid no Estado do Maranhão. É lógico que o Governador Flávio Dino deve ser reconhecido pelo trabalho que tem feito, mas quero dividir esse crédito com os Prefeitos, que também têm contribuído nessa tarefa. Também temos que reconhecer o legado do Governo da Roseana Sarney, que deixou o Estado estruturado na área da saúde”, enfatizou o parlamentar.

Legado da ex-governadora no setor da saúde 

Hildo Rocha lembrou que Roseana Sarney construiu 70 unidades hospitalares incluindo os hospitais regionais de Caxias, Imperatriz, Balsas, Chapadinha, entre outros.

“Essa estrutura tem permitido ao Estado combater, com bastante eficiência, essa maldita doença. Portanto, Se não tivesse havido, por parte do Governo da Roseana Sarney, a construção desses hospitais, eu tenho certeza de que o governador Flávio Dino estaria patinando no combate à COVID-19, como estão patinando alguns Governadores. Todas as UPAs que existem no Maranhão foram construídas no Governo da Governadora Roseana Sarney, que teve como Secretário de Saúde o Ricardo Murad”, enfatizou Hildo Rocha.

Roseana deixou dinheiro em caixa 

De acordo com o deputado, o Governador tem feito bom trabalho, na área da saúde, no que diz respeito ao combate à Covid-19. “Mas grande parte da estrutura que existe no Maranhão foi feita no Governo da Roseana Sarney. Muitos desses hospitais foram concluídos no Governo da Roseana Sarney. Outros foram concluídos já no Governo Flávio Dino, mas devemos reconhecer que Roseana Sarney deixou caixa dinheiro para a conclusão dessas obras estruturantes da saúde. Portanto, devemos reconhecer também o trabalho dos Prefeitos e da Governadora Roseana Sarney, e não apenas do Governador Flávio Dino”, afiançou Hildo Rocha.

sem comentário »

Nordeste dá a Bolsonaro concentra maior taxa de rejeição

Alvo de investidas do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) desde o lançamento do auxílio emergencial, no ano passado, o Nordeste concentra hoje as maiores taxas de rejeição ao atual ocupante da Presidência. Pesquisa Datafolha indica que 62% dos moradores da região não votariam de jeito nenhum em Bolsonaro. Em todo o país, a rejeição é de 54%.

O levantamento também indica que Bolsonaro terá dificuldade para repetir a fórmula usada no ano passado de reverter a avaliação negativa com base no auxílio: 87% dos eleitores disseram ao Datafolha que consideram insuficiente o novo valor do benefício — as parcelas variam entre R$ 150 e R$ 375.

A avaliação do governo Bolsonaro também atingiu a pior marca desde o início do mandato. O percentual dos que consideram a gestão ótima ou boa caiu de 30% em março para 24%.

Em foco: as intenções de voto para a eleição presidencial indicam vantagem do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sobre Bolsonaro no primeiro turno — 41% a 23%. No segundo turno, o petista venceria por 55% a 32%.

Análise: como falta um ano e cinco meses para as urnas, o derretimento de Bolsonaro está longe de ser um fenômeno irreversível. Mas nada indica que o capitão vá se recuperar no médio prazo, afirma Bernardo Mello Franco.

sem comentário »

Prefeitura de Cajari entrega alimentos adquiridos pelo PAA

A Prefeitura Municipal de Cajari iniciou a entrega de alimentos através do Programa de Aquisição de Alimentos-PAA nesta terça-feira (11). O programa visa contemplar agricultores familiares e famílias em situação de vulnerabilidade social. Por meio do PAA, os produtos agrícolas, como frutas e hortaliças, são comprados diretamente dos agricultores e repassados para essas famílias que são acompanhadas pela Secretaria de Assistência Social, através do Centro de Referência em Assistência Social – CRAS, no município de Cajari.

A parceria da Prefeitura de Cajari, juntamente com o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) conta com alimentos fresquinhos e produzidos por mãos da agricultura familiar, propiciando uma “Mesa Saudável” para famílias de baixa renda que possuem cadastro no CRAS. “A intenção da Prefeitura de Cajari é promover uma mesa farta e saudável para todos os cajarienses”, ressaltou a prefeita Dra Maria Félix.

 

CONVÊNIO

O vice prefeito Constâncio Sousa vistoriou as compras

Recentemente a prefeita Dra. Maria Félix assinou convênio com o Governo do Estado do Maranhão, objetivando a implementação do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) de produtores do próprio município. Para a prefeita de Cajari, “isso é uma forma de valorização dos produtores locais, gerando renda para essas famílias e colocando comida na mesa de quem mais precisa, uma vez que esses alimentos estão sendo entregues pela Secretaria de Assistência Social”, pontuou.

A prefeita disse ainda que através da Secretaria de Agricultura já encaminhou a lista de produtores interessados em receber sementes à Sagrima.

A prefeita também está disponibilizando o trator do município de Cajari para aradar áreas dos agricultores. O vice-prefeito Constâncio Sousa e a Secretaria de Agricultura acompanharam a entrega desses alimentos, juntamente com a Secretaria de Assistência Social.

OUTRAS PARCERIAS

Ontem a prefeita esteve com o superintendente da Codesvasf  Dr. Celso Adriano Costa Dias alinhando parceiras para o município de Cajari.

 

 Redação: Elirdes Soares

sem comentário »

MIRANTE AM 33 ANOS! PARABÉNS A MELHOR RÁDIO MARANHENSE.

Uma logo que é considerada das mais bonitas

Fui convidado pelo saudoso Herbert Fontenelle lá no ano de 1987 para compor a primeira equipe da Rádio Mirante AM, que entraria no ar no ano seguinte, exatamente no dia 10 de maio de 1988, com uma super equipe.

Hoje, 33 anos depois, os remanescentes estão todos afastados por terem mais de 60 anos, mesmo vacinados e prontos e aptos para o trabalho esperando que o Governo do Estado decida quando estas pessoas poderão retornar aos seus afazeres, por causa da pandemia(?).

32 anos de história nesta rádio maravilhosa

A Rádio Mirante AM se prepara para a migração para FM o que deve acontecer em breve, por causa de um decreto do governo federal que utilizará o espectro das am’s para a telefonia, tirando do ar o verdadeiro alcance do rádio.

A Mirante AM cresceu, se consolidou como a “Rádio do Maranhão”, a mais acreditada, formadora de mão de obra e talentos que foram colocados no mercado, substituindo os já veteranos que aos poucos vão se afastando ou sendo afastados.

Pioneiro da emissora, Tércio Dominice

Ao longo dos anos a Rádio Mirante AM foi crescendo, e por lá passaram grandes nomes, os melhores profissionais do mercado local. Hoje prestes a deixar de existir como AM, a direção garante que a emissora continuará com sua programação voltada para a população, informando sempre em primeiro lugar, e trabalhando com uma equipe focada na veracidade da notícia.

32 ANOS DE CASA

Cheguei ao timaço da Mirante AM em 1989 como repórter esportivo e logo conquistei meu espaço na programação jornalística, ao lado dos grandes nomes que a casa possuía. Depois fiz parte do time de comentarista esportivo, e cheguei ao jornalismo com o programa Grande Jornal Mirante, apresentei o Primeira Edição, o Notícia da Manhã (CBN), Rádio Mania e por fim o Abrindo o Verbo.

Hoje me encontro afastado por causa da pandemia, saudoso da minha atividade, e sem data para retorno, pois cada vez que o governador Flávio Dino renovar o decreto dos 60 anos, não voltarei ao trabalho. Estou bem de saúde, saudável, graças a Deus e com muita vontade de reatar com os meus amigos ouvintes.

Primeiro operador Carlito Internacional

Eu, Carlito Internacional, Nonato Costa e Tércio Dominice e mais a amiga Solange Bezerra, somos do “grupo de risco”, portanto afastados do dia-a-dia da programação, dando oportunidade aos novos talentos.

A amiga e jornalista Jacieny Dias em suas redes sociais, perguntou por mim na reportagem da TV Mirante, quero dizer a nobre amiga, que as pessoas esquecem rapidamente aquilo que não veem. Então, “esqueceram de nós” os velhinhos.

Parabéns Rádio Mirante AM, e até outro dia.

sem comentário »

Participantes de audiência proposta pelo Deputado Hildo Rocha cobraram realização semestral do exame que valida o diploma de médicos formados no exterior

A Câmara dos Deputados realizou, ontem (10), Audiência Pública proposta pelo deputado Hildo Rocha com a finalidade de discutir o descumprimento da Lei 13.959/19, que institui o Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituição de Educação Superior Estrangeira, o Revalida.

O Revalida subsidia a revalidação, no Brasil, de diplomas de graduação em medicina obtidos no exterior. O exame é composto por uma etapa teórica e outra prática que abordam clínica médica, cirurgia, ginecologia e obstetrícia, pediatria e medicina da família e comunidade (saúde coletiva).

O representante do Ministério da Educação, Luís Grochocki, que é diretor de Avaliação da Educação Superior do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), negou que o Ministério da Educação esteja descumprindo a lei.  Entretanto, de acordo com o gestor, entre 2017 e 2019, o exame não foi aplicado porque houve problemas com licitações no período. Já no ano de 2020 também não foi realizado, segundo o diretor do INEP por causa da pandemia.

A primeira etapa (exame teórico) do Revalida 2021 está prevista para setembro, com resultados em novembro. Só depois disso poderia ser realizada a segunda etapa.

Exame semestral 

A explicação do diretor do INEP não convenceu deputados e outros participantes da audiência. “A lei é clara. Temos que ter dois Revalidas por ano, um a cada semestre. Também diz claramente que são duas etapas. Segundo foi colocado aqui, por vários convidados e deputados, o INEP pretende realizar os exames em três etapas, portanto, em desconformidade com o que diz a lei”, observou o deputado Hildo Rocha (MDB-MA).

Pandemia não é entrave 

Hildo Rocha ressaltou que a pandemia do Coronavírus não pode ser entrave para a realização do Revalida. “O coronavírus deve ser um fomentador do Revalida porque nós estamos precisando de médicos para atuar na linha de frente no combate à pandemia e temos bons médicos brasileiros formados no exterior que poderiam estar ajudando a salvar vidas e que precisam serem avaliados corretamente para poderem trabalhar legalmente no Brasil. Eles querem fazer os exames de capacidade profissional só que a cada momento inventam desculpas para não realizar o revalida”, argumentou.

Critérios rigorosos 

Hildo Rocha também destacou a informação revelada pela Dra. Charliane Maria Silva, advogada do Processo de Revalidação dos diplomas de médicos brasileiros formados no exterior.

“Dra. Charliane nos trouxe uma informação relevante. Ela nos assegurou que existem médicos intensivistas já com pós-doutorado feitos na USP e que não conseguem trabalhar no Brasil porque encontram imensas dificuldades nas avaliações do Revalida. Ou seja, o Brasil precisando de intensivistas infelizmente muitos profissionais estão impossibilitados de trabalhar porque além dos rígidos critérios das provas a aplicação dos exames não tem obedecido a periodicidade prevista em lei”, lamentou o deputado.

O bom exemplo da UEMA 

Hildo Rocha ressaltou que a Universidade Estadual do Maranhão (Uema), tem conseguido realizar o Revalida. “O magnífico reitor da Uema, Gustavo Pereira da Costa, tem facilitado e tem trabalhado no sentido de fazer o Revalida. Pergunto: por que a Uema consegue fazer e outras instituições não conseguem?”, questionou Hildo Rocha.

Médicos para o Brasil 

Entre os participantes da videoconferência, o prefeito de Campinas (SP) e vice-presidente da Frente Nacional de Prefeitos ( FNP)  Dário Saadi, foi um dos que ressaltaram a importância do Revalida para garantir que profissionais que fizeram faculdade em outros países possam trabalhar regularmente no Brasil. O exame, disse, pode trazer mais médicos para o País, principalmente para locais com dificuldade de contratação.

“Não só durante a pandemia, mas buscando melhorar a saúde no País, a gente precisa ter exame duas vezes por ano para dar a oportunidade ao médico, dentro do processo legal, até mesmo para brasileiros que saem do País e fazem faculdade de medicina no exterior”, afirmou Saadi.

sem comentário »

Governo do Estado avança na imunização de gestantes, com agenda especial para mães

Neste sábado (8), das 8h às 16h; e domingo (9), das 8h às 12h, no IEMA Cintra, no Anil, haverá vacinação especialmente para grávidas com comorbidades e puérperas – até 40 dias após o parto – em comemoração ao Dia das Mães, comemorado no domingo. A medida foi anunciada pelo governador Flávio Dino, em coletiva à imprensa, nesta sexta-feira (7), no Palácio dos Leões. Ele também pontuou o cenário da Covid-19 no estado e reforçou medidas da gestão estadual para combater à doença.

 

Flávio Dino ressaltou que prossegue o calendário de vacinação deste e dos demais públicos prioritários, em todo o Maranhão, conforme o Plano Nacional de Imunização. “Nosso trabalho sempre tem sido alinhado com o Plano Nacional de Imunização e todas as instâncias normativas do processo. São estes que determinam os públicos prioritários e estamos seguindo. Sou solidário com todos que estão demandando mais vacinas, e estamos lutando por isso. E a todas as mães, desejo que tenham um dia fraterno, de carinho e amor”, enfatizou Flávio Dino.

 

O governador informou, ainda, que tramita no Superior Tribunal Federal (STF) petição sobre compra da Sputnik; e reforçou apoio à suspensão temporária de patentes das vacinas contra Covid-19. Dino frisou que esta “é a melhor forma de ampliar a oferta das vacinas”. No cenário da doença, o Maranhão apresenta ciclo de crescimento dos casos ativos; queda dos óbitos, sendo o estado do país com menor número de mortes pela doença; e queda nas internações, tanto na rede de atendimento pública, quanto privada.

 

Se mantém a redução na ocupação de leitos clínicos (de 67% para 49%) e de Unidade de Terapia Intensiva – UTI (de 81% para 69%). “Até aqui, garantimos assistência hospitalar. Não houve nenhum paciente sendo transferido do Maranhão para outros estados e continuamos investindo para que isso prossiga”, afirmou o governador.

 

Até o momento, o Maranhão recebeu 2,01 milhões de doses de vacinas e 159 cidades apresentam índice de mais de 80% de aplicação. Na última semana, 153 municípios tinham alcançado esse índice. Na educação, somam mais de 60% dos profissionais já imunizados no estado. Segue a vacinação de educadores e servidores na faixa dos 35 anos.

 

Novas medidas

O governador anunciou liberação de eventos com 50 pessoas, a partir do dia 10 de maio; e com 100 pessoas, a partir do dia 17. Música ao vivo estará permitida a partir do dia 15. As demais medidas restritivas em vigor foram ampliadas e prosseguem até dia 24 de maio, para as cidades da Região Metropolitana de São Luís, sempre com 50% da capacidade de pessoas.

 

Dessa forma, comércio e indústria, funcionam das 9h às 21h; supermercados das 6h às 0h; bares e restaurantes até às 23h; escolas estaduais na modalidade on-line e as privadas a critério da instituição; nos setores público e privado, pessoas do grupo de risco devem ser afastadas do trabalho. Cinemas e teatros não foram inclusos, por se tratar de ambientes fechados e de longa permanência. “Vamos editar normas para este segmento, posteriormente”, informou Flávio Dino.

 

“Adotamos regime um pouco mais flexível, sempre com senso de responsabilidade, para que possamos ter o máximo quanto possível a normalidade, sem por em risco a saúde e esforços sanitários que temos feito”, avaliou.

 

Medidas sociais

Serviços de saúde envolvendo itens de combate ao coronavírus foram isentados do pagamento de Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS), pelo Governo do Estado. Estão incluídos nesse benefício operações com vacinas e insumos destinados à produção de vacinas; para elmos (espécie de capacete de respiração) e oxigênio medicinal; e em compras públicas de kits de testes e respiradores.

 

Pagamentos dos auxílios gás e combustível iniciam nos próximos dias; estão mantidos os sorteios do Minha Casa Melhor, com apoio de R$ 600 para compra de itens domésticos a famílias de baixa renda; distribuição de máscaras; e as ações do programa Comida na Mesa, com a distribuição de cestas de alimentos; além da venda de jantar por apenas R$ 1 nos 55 Restaurantes Populares.

 

sem comentário »

Deputado Hildo Rocha registra no plenário da Câmara o aniversário de 186 anos de Barra do Corda

Em pronunciamento no plenário da Câmara Federal, o deputado Hildo Rocha registrou o aniversário de 186 anos da cidade de Barra do Corda. “Barra do Corda é uma cidade importante para o Estado do Maranhão, ela fica no coração do Estado. É uma cidade rica, constituída por homens e mulheres trabalhadores e trabalhadoras, que têm ajudado muito no seu desenvolvimento. Hoje, a cidade é governada pelo nosso amigo Rigo Teles, que foi seis vezes Deputado Estadual, agora resolveu ser Prefeito da cidade e está fazendo uma grande administração”, ressaltou o deputado.

Contribuições ao desenvolvimento do município 

Hildo Rocha destacou que nas duas vezes em que ele se candidatou recebeu apoio do povo de Barra do Corda. “Nas duas vezes que me candidatei a deputado recebi o apoio dos barra-cordenses, em retribuição a isso tenho me dedicado a destinar recursos federais para a cidade: recursos para a construção de sistemas de abastecimento de água; para pavimentação de ruas; doação de patrulhas mecanizadas, apoio à saúde. Agora mesmo está sendo construída pelo Município uma Unidade Básica de Saúde (UBS), com recursos federais de emenda de minha autoria”, comentou.

Funcionamento da UPA 

O parlamentar enfatizou que ele exerceu papel importante no processo que possibilitou a abertura e funcionamento da UPA (Unidade de Pronto-Atendimento). “Ajudei no funcionamento da unidade de pronto atendimento. Além disso, tenho contribuído para a conquista de inúmeros benefícios para a população de Barra do Corda. Dentro de poucos dias, será iniciada a pavimentação de ruas do povoado Ipiranga, que é um antigo sonho da população dessa localidade”, enfatizou Hildo Rocha.

sem comentário »