Segunda-feira, 6 de abril de 2020.

Procon/MA alerta para golpes virtuais que oferecem auxílio durante pandemia do coronavírus

A notícia de que o Governo Federal sancionou lei que cria o auxílio mensal de R$ 600 para trabalhadores informais é verdadeira, mas criminosos aproveitaram essa informação e a crise causada pelo Novo Coronavírus para aplicar golpes prometendo o auxílio e, então, roubar dados pessoais das vítimas.

Além de páginas falsas na Internet, uma das formas encontradas pelos criminosos é o uso de aplicativos como o whatsApp. Nele, os usuários recebem uma mensagem sobre o auxílio e são direcionados para sites espiões, que solicitam o preenchimento de um formulário com seus dados pessoais para ter direito ao saque.

A dona Lúcia Maria, 53 anos, quase foi vítima do golpe. “Eu recebi a mensagem em um grupo no whatsapp. Como eu já tinha visto a notícia sobre o auxílio na televisão, achei que fosse verdade e cliquei no link, mas desconfiei quando vi que teria que preencher com meus dados para obter o benefício”, relata a autônoma.

De forma espontânea ou devido ao vírus que pode se instalar no celular, muitas pessoas compartilham a mesma mensagem para outros usuários do aplicativo, levando amigos ou parentes a caírem na fraude também. Por isso, o Procon/MA orienta que, ao receber esse tipo de mensagem, o usuário verifique a veracidade das informações.

“Infelizmente, existem pessoas que aproveitam o momento de fragilidade para enganar aqueles que estão mais vulneráveis. Recomendamos que as pessoas evitem clicar em links suspeitos e não compartilhem as mensagens sem antes consultar a autenticidade das informações em fontes confiáveis”, reforça a presidente do Procon/MA, Adaltina Queiroga

Fonte: Governo do Estado

sem comentário »

Hildo Rocha consegue dinheiro para construir fábrica comunitária de polpa de frutas

O deputado federal Hildo Rocha assegurou a implantação de uma Unidade de Beneficiamento Comunitária de Processamento de Frutas, que será instalada na comunidade São José da Conquista, no município de Lago do Junco. Após assinar a ordem de serviço, o parlamentar afirmou que em poucos dias a obra estará concluída e servindo aos agricultores familiares de inúmeras comunidades, tanto de Lago do Junco como de Lago da Pedra.

 

Hildo Rocha explicou que o benefício é o resultado de um grande esforço capitaneado pelo ex-prefeito Haroldo Léda. “Esse empreendimento foi conquistado graças ao esforço do grupo de oposição de Lago do Junco, que tem como líder principal o médico e ex-prefeito da cidade Haroldo Léda. A vereadora Josa Arruda e os vereadores, Romildo Duarte e Nivaldo Pereira também lutaram muito por essa conquista, essas lideranças pediram o meu apoio e eu destinei os recursos para a Codevasf construir a obra”, destacou o parlamentar.

 

Trabalho, renda e qualidade de vida

O deputado afirmou que dentro de poucos dias a indústria comunitária já estará funcionando. “Estamos viabilizando condições para que os agricultores familiares possam dispor de meios adequados para fazer melhor aproveitamento da sua produção, tenham mais renda e melhor qualidade de vida. Acredito que em breve Lago do Junco passará a ser grande produtor de polpa de frutas, um dos maiores do Maranhão, graças ao nosso esforço, graças ao trabalho do grupo de oposição de Lago do Junco, liderado por Haroldo Léda”, destacou o deputado.

 

O líder da oposição de Lago do Junco, Haroldo Léda, ressaltou que os produtores rurais já produzem polpa de frutas, mas os meios de produção que eles utilizam são arcaicos, inadequados.

 

“Atualmente os produtores sofrem muito para produzir porque os meios existentes funcionam precariamente. Agora, o deputado Hildo Rocha está dando um grande apoio que irá impulsionar a produção, melhorar a qualidade dos produtos e aumentar a renda das pessoas. Todos nós estamos de parabéns, obrigado, deputado Hildo Rocha”, disse Haroldo Léda.

sem comentário »

ABI organiza ato virtual em defesa do jornalismo

A ABI de São Paulo, em nome da ABI nacional, e junto com outras entidades da sociedade civil , está organizando ato virtual a ser realizado no dia 7 de abril, Dia do Jornalista, provavelmente pelo Facebook, às 19 horas, “em defesa do jornalismo, da informação e da verdade”, como destaca o manifesto.

No mesmo dia, será realizada a entrega do troféu Audálio Dantas, em homenagem à jornalista Patrícia Campos Mello, que simboliza a excelência e a coragem da atividade jornalística.

Abaixo o texto a ser divulgado e assinado pelas entidades no dia 7 de abril – DIA DO JORNALISTA

Ato virtual em defesa do jornalismo, da informação e da verdade

Chegamos neste 7 de abril de 2020 em meio a uma pandemia que assola os quatro cantos do mundo. A humanidade nunca teve tanta necessidade de informação de qualidade, clara, vinda de fontes confiáveis. Para se orientar, para se mover a cada dia, para organizar suas vidas, as pessoas precisam ser informadas sobre a realidade da Covid-19, sobre as pesquisas para uma eventual vacina, sobre as formas de contágio, sobre os efeitos sociais da pandemia. O jornalismo emerge, neste momento, como artigo de primeira necessidade.

Esta realidade, no Brasil, assume contornos ainda mais dramáticos. O presidente Jair Bolsonaro se opõe às recomendações da Organização Mundial da Saúde e de autoridades sanitárias brasileiras e do exterior, usando até mesmo cadeia nacional de rádio e TV para disseminar a confusão e a desinformação, com impacto amplo na população brasileira. E, aos olhos de setores crescentes da sociedade, o jornalismo se apresenta como o melhor antídoto para o caos que emana do Planalto.

Chegamos neste 7 de abril de 2020 com 15 meses de ataques incessantes do atual presidente contra a liberdade de imprensa, contra órgãos de comunicação, contra o exercício do jornalismo e contra diversos jornalistas. A opinião pública assiste estarrecida o presidente humilhar repórteres, toda manhã, em um chiqueirinho no palácio da Alvorada. E uma das maiores homenagens que os jornalistas poderiam receber neste momento foi feita por um decreto desse próprio presidente, em 22 de março de 2020, no qual é obrigado a reconhecer que, na atual emergência em que o país vive, o trabalho da imprensa está no rol das atividades essenciais de enfrentamento à pandemia em curso.

Chegamos, enfim, neste 7 de abril de 2020 com o desafio de realizar um inédito ato virtual em comemoração ao Dia do Jornalista. Como é virtual, terá a oportunidade de ser nacional, agrupando participantes em várias partes do país. Nele, homenagearemos a jornalista Patrícia Campos Mello, que simboliza a excelência e a coragem da atividade jornalística que queremos ver espalhada por todo o Brasil. Nele, poderemos também nos somar às homenagens aos profissionais da saúde, que, com coragem, têm o desafio de estar na linha de frente do combate à pandemia.

Participem do ato!

sem comentário »

Hildo Rocha expõe caos da saúde pública maranhense: o governador não repassa a contrapartida para o custeio das UPAs, SAMU, CAPS, e Farmácias Básicas

O deputado federal Hildo Rocha mostrou ao Brasil um “raio X” da saúde pública no Estado do Maranhão. Durante pronunciamento na tribuna da Câmara Federal na última terça-feira o parlamentar maranhense mostrou que a realidade é totalmente diferente do que diz o governador do estado. “Flávio Dino faz muita propaganda, muito marketing, mas ações efetivas em favor da saúde pública de qualidade ele não faz”, enfatizou.

 

Mortes por deficiência da estrutura hospitalar

O deputado enfatizou que a incompetência do governador Flávio Dino expõe os profissionais da saúde a inúmeros riscos e provoca mortes por deficiência das unidades hospitalares.

 

“No Maranhão as mortes que aconteceram, provocadas por influenza A, poderiam ter sido evitadas se o governo do Estado proporcionasse atendimento adequado. Este ano, a gripe H1N1 já levou mais de 20 pessoas ao óbito. O vírus H1N1 já está sendo combatido há muito tempo. Onde estava o Governador Flávio Dino que nada fez, que não impediu que pessoas que estavam no grupo de risco morressem? Por que ele não as vacinou? Por que ele não deu apoio às prefeituras? Ele não tem dado apoio às prefeituras. O governador Flávio Dino deve às Prefeituras repasses referentes ao Sistema Único de Saúde, que é tripartite, e os prefeitos têm bancado a saúde pública praticamente sozinhos, por isso a precariedade na saúde do Maranhão”, argumentou.

 

Repasses interrompidos

Rocha disse que há três anos o governador Flávio Dino não repassa os recursos para o custeio das UPAs que são administradas pelos municípios. “A manutenção do SAMU também é tripartite, união, estado e municípios. A união paga regularmente, mas o governo do Maranhão não paga em dia, deve 10 parcelas dos últimos dois anos. Os repasses para o Programa Farmácia Básica também estão atrasados”, denunciou

 

Dinheiro federal foi confiscado

Ainda de acordo com o deputado Hildo Rocha, o governo federal enviou R$ 20 milhões para que o governo do Maranhão distribuísse para todas as prefeituras. “Sabem o que ele fez com os 20 milhões? Distribuiu 16 milhões para as prefeituras e ficou com 20% para ele, ou seja 4 milhões de reais. Não se tem conhecimento de uma UPA que ele tenha construído ou instalado, nesses cinco anos. Como pode ele dizer que está defendendo a saúde pública? Ele não tem moral para dizer isso. Eu conheço a realidade do Maranhão, os prefeitos do Maranhão também sabem disso. Eles que estão levando a saúde nas costas”, afirmou Hildo Rocha.

 

Onde foi parar o dinheiro para compra de respiradores?

O parlamentar disse que recentemente o presidente Jair Bolsonaro enviou R$ 14 milhões para Flávio Dino comprar respiradores mecânicos, para equipar as UPAs. “Ninguém sabe o que ele fez. Inclusive morreu uma pessoa acometida do COVID-19, novo coronavírus, no último domingo, na UPA da Cidade Operaria. A morte está envolta de mistérios. Tudo indica que houve falhas por parte do governo do estado no atendimento do senhor que morreu”, destacou Hildo Rocha.

 

Deputados federais e senadores conseguem mais R$ 131 milhões para combate ao coronavírus no Maranhão

Em razão da crise do coronavírus o Governo de Jair Bolsonaro abriu a possibilidade de as emendas de bancada serem logo liberadas. “A bancada federal havia decidido que R$ 131 milhões seriam destinados para Atenção Básica (PAB) e Média e Alta Complexidade (MAC). Mas, cientes da gravidade que hoje vivenciamos, nós redirecionamos tudo para o combate ao coronavírus”, afirmou o parlamentar.

 

Ações dos prefeitos merecem reconhecimento

Hildo Rocha disse que ao contrário do governo estadual, que faz mal uso dos recursos da saúde, os prefeitos conseguem atender grande quantidade de pessoas. “Quando o cidadão adoece é o posto de saúde municipal que ele procura primeiro. Ele chegando ao centro de saúde dos Municípios sendo tratado de forma correta evita-se que ele vá para a UTI. Se você trata bem o doente na atenção básica, ele não vai precisar ser tratado para pneumonia ou qualquer outro tipo de agravamento provocado pelo coronavírus”, disse o deputado.

 

Hildo Rocha afirmou que o Ministro Mandetta está fazendo um bom trabalho porque conta com inúmeros servidores públicos capacitados. “Inclusive ocupantes de cargos comissionados, que foram colocados pelo presidente Jair Bolsonaro e estão ajudando o ministro a fazer um bom trabalho”, afirmou Hildo Rocha.

sem comentário »

Em editorial, jornal britânico ‘The Guardian’ diz que Bolsonaro é ‘perigo para brasileiros’

Informações do Globo.com

 

Em editorial publicado nesta terça-feira (31), o diário britânico “The Guardian” critica o posicionamento de Jair Bolsonaro em meio à pandemia de coronavírus, afirmando que o presidente é um “perigo para os brasileiros”.

 

Editorial é o nome dado ao artigo que representa a opinião do veículo de comunicação que o publica. Prestes a completar 200 anos de fundação, “The Guardian” é um dos jornais mais importantes do mundo.

 

“Sua resposta ao coronavírus atingiu novas profundezas. Muitos governos terão que responder por seus erros e complacência quando a pandemia terminar. O desempenho de Bolsonaro está em uma categoria única”, diz trecho do texto.

 

Logo no início, o artigo ressalta que a maior parte do Brasil segue rigorosas quarentenas impostas por seus governadores e que o Ministério da Saúde faz apelos para que as pessoas permaneçam em suas casas, caso contrário o sistema de saúde pública poderá entrar em colapso já no final de abril.

 

Mas destaca que um homem desdenha das restrições e passeia pelo mercado local, tem suas publicações removidas de redes sociais ao promover medicamentos não testados e atacar o distanciamento social. “Um homem normalmente não pode causar tanto dano. Infelizmente, este homem é o presidente”, diz o jornal.

 

O texto lembra ainda que Bolsonaro chamou a Covid-19 de “gripezinha” e reclamou de suposta histeria da imprensa, além de dizer que “todo mundo vai morrer um dia”. E lembra que ele mesmo já foi testado após pessoas próximas a ele terem sido diagnosticadas com a doença, e pode ter representado um perigo físico para seus seguidores ao manter contato próximo durante seus passeios por Brasília no último final de semana.

 

O jornal menciona também seu desentendimento com governadores, que acusou de serem “exterminadores de empregos” e diz que isso seria uma estratégia para atribuir a culpa a terceiros quando a economia começar a afundar.

 

No entanto, em sua conclusão, o artigo diz que alguns aliados já começam a romper com o presidente, e cita os governadores de Goiás e Santa Catarina e rumores de inquietação nas Forças Armadas. “O senhor Bolsonaro pode não acreditar no distanciamento físico, mas está se mostrando notavelmente bem-sucedido em se isolar”, encerra o jornal.

sem comentário »

Senado Federal aprova projeto do deputado Hildo Rocha que garante distribuição de merenda às famílias com filhos na rede pública de ensino

merenda garantida para estudantes

O Plenário do Senado Federal aprovou, por unanimidade, nesta segunda-feira (30), o Projeto de Lei 786/2020, do deputado federal Hildo Rocha (MDB-MA), que assegura a distribuição dos alimentos da merenda escolar às famílias dos estudantes que tiveram suspensas as aulas na rede pública de educação básica devido à pandemia do coronavírus.

 

Deputado Hildo Rocha trabalhando pelo Maranhão

O projeto do parlamentar maranhense foi aprovado na Câmara dos Deputados no último dia 25, em seguida, tramitou no Senado em regime de urgência e, nesta segunda-feira foi aprovado por unanimidade por todos os senadores que participaram da votação.

 

“A fome não pode esperar. Milhões de crianças que estudam em escolas públicas, em todo o Brasil, estão sem receber a merenda escolar porque as escolas estão fechadas em decorrência da pandemia do coronavírus”, destacou Hildo Rocha.

 

Segurança jurídica para os prefeitos de todo o país

O projeto determina que todas as vezes em que as aulas da rede pública forem suspensas em razão de situação de emergência ou de calamidade pública a merenda pode ser entregue nas casas dos estudantes. Este ano no Brasil cerca de 42 milhões de crianças e adolescentes estão matriculados na rede pública de educação básica.

“A legislação atual impede os prefeitos de fazer a distribuição da merenda fora do ambiente escolar. O projeto de minha autoria muda as regras proporcionando assim segurança jurídica para que os prefeitos e governadores possam distribuir os alimentos nas casas dos pais dos alunos das escolas públicas de todo o país”, explicou Hildo Rocha.

 

Agradecimentos

Hildo Rocha agradeceu aos senadores de todo o país e, em especial, aos três senadores do Maranhão. “Agradeço pela rapidez com que a minha proposta tramitou, agradeço a todos os senadores do país e, faço um agradecimento especial aos senadores maranhenses Roberto Rocha, Wewerton Rocha e Eliziane Gama. O senador Roberto Rocha, líder do PSDB no senado indicou o relator do projeto que foi o senador Rodrigo Cunha (PSDB) a quem ele pediu rapidez na relatoria, assim ele fez, até porque a matéria precisa ser transformada em lei para que todas as crianças do Brasil possam receber a alimentação escolar em casa”, explicou Hildo Rocha.

 

Proposta elogiável

O relator da matéria na Casa, senador Rodrigo Cunha (PSDB-AL) declarou que a proposição é “altamente elogiável”, na medida em que busca assegurar a alimentação de milhões de crianças e jovens que dependem da merenda escolar, durante o período de suspensão das aulas, devido a emergência ou calamidade pública.

 

“Notadamente neste momento, em que vivemos a crise mais grave de nossa história, em decorrência da pandemia de coronavírus, entendemos ser papel do Poder Público oferecer apoio às crianças e jovens que se encontram extremamente vulneráveis”, afirmou Cunha.

 

Para começar a valer, a iniciativa ainda precisa ser sancionada pelo Presidente da República Jair Bolsonaro.

sem comentário »

Edivaldo nega boato e alerta para o perigo das fake news durante a pandemia do coronavírus

Por meio das suas redes sociais o prefeito Edivaldo Holanda Junior alertou  para o perigo que as fake news podem trazer para a saúde pública neste momento de pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Circulou nas rede sociais e whatsapp que a Prefeitura de São Luís determinaria a volta às aulas nas escolas municipais e a reabertura do comércio. A informação é falsa. Edivaldo reforça que continuará mantendo as medidas de isolamento social, conforme recomendam as autoridades de saúde.

Em sua publicação nas redes sociais, Edivaldo pediu à população de São Luís que “não compartilhe fake news, isso atrapalha e muito o nosso trabalho de combate à doença”, destacou.

O apelo de Edivaldo é importante, pois segundo especialistas no assunto, a quantidade de peças de desinformação circulando nas redes é sem precedentes. As publicações falsas trazem desde tratamentos que seriam eficazes contra a Covid-19, ações que estariam sendo tomadas pelos órgãos públicos, formas de transmissão ou prevenção sem validação médica. Estas informações contribuem para aumentar os riscos à saúde da população.

Por isso, é fundamental que toda e qualquer informação recebida via redes sociais ou whatsapp sejam checadas antes de serem compartilhadas. É fundamental verificar as fontes e origem das informações. O Ministério da Saúde criou um aplicativo e um site apenas para tratar do tema coronavírus. Os canais oficiais da Prefeitura de São Luís e do Governo do Estado também têm divulgado informações constantemente. A imprensa também tem prestado um importante serviço à sociedade, divulgando informações validadas por diversos especialistas da área da saúde.

sem comentário »

Discurso de Bolsonaro sobre coronavírus foi ‘tentativa de desmobilizar a sociedade e as autoridades sanitárias’, dizem secretários estaduais de saúde

 

Matéria do G1

Em pronunciamento na TV, presidente pediu ‘volta à normalidade’, fim do ‘confinamento em massa’ e disse que meios de comunicação espalharam ‘pavor’.
Por G1

Em carta conjunta, secretários estaduais de saúde do Brasil criticaram, nesta quarta-feira (25), o pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro sobre o novo coronavírus, que causa a doença Covid-19.

“Infelizmente o que vimos em seu pronunciamento foi uma tentativa de desmobilizar a sociedade brasileira, as autoridades sanitárias de todo o país”, diz trecho da carta publicada no site do Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde).

Bolsonaro contraria especialistas e autoridades e pede fim do ‘confinamento em massa’

“Não podemos permitir o dissenso e a dubiedade de condução do enfrentamento à Covid-19. Assim, é preciso que seja reparado o que nos parece ser um grave erro do Presidente da República. Ao invés de desfazer todo o esforço e sacrifício que temos feito junto com o povo brasileiro, negando todas as recomendações tecnicamente embasadas e defendidas, inclusive, pelo seu Ministério da Saúde, deveríamos ver o Presidente da República liderando a luta”, diz a carta (leia a íntegra abaixo).

Bolsonaro fez um pronunciamento na TV, na noite desta terça-feira (24), contrariando especialistas e pedindo a “volta à normalidade” e o fim do “confinamento em massa”. O presidente também afirmou que meios de comunicação espalharam “pavor”.

Alcolumbre diz que fala de Bolsonaro na TV é ‘grave’ e que país precisa de ‘liderança séria’
Pronunciamento foi ‘equivocado’, e brasileiros devem seguir normas da OMS, diz Maia

A fala de Bolsonaro também foi criticada pela Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI). Em nota, a entidade que representa médicos especialistas considerou que a fala do presidente pode dar falsa impressão que as medidas de contenção social são inadequadas e que a Covid-19 é semelhante ao resfriado comum.

Os secretários de saúde do nordeste também reagiram ao pronunciamento do presidente. Em carta aberta, os gestores disseram que assistiram “estarrecidos” ao discurso, no qual o presidente da República “desfaz todo o esforço e nega todas as recomendações para combate à pandemia do coronavírus”.

Leia a íntegra da nota assinada pelo Conass:

“Assistimos estarrecidos ao pronunciamento em cadeia nacional do Presidente da República, Jair Bolsonaro.

É preciso demonstrar ao Brasil as suas consequências e a necessidade de que a população perceba a gravidade do momento que estamos vivendo.

Temos, juntamente com o Ministério da Saúde, os municípios e a própria sociedade brasileira, empreendido uma intensa luta no enfrentamento da Covid-19.

Luta que envolve trabalho, sacrifício, solidariedade, empatia, compaixão com o sofrimento das pessoas e que depende de maneira imprescindível do alinhamento de entendimento e de ações, assim como da união de esforços e de uma direção única e firme.

Todas as decisões e recomendações do Conass e do Ministério da Saúde têm se baseado em evidências científicas, na realidade nacional e internacional e buscado inspiração nas melhores práticas e exemplos de condutas exitosas ao redor do mundo.

É este o esforço que temos empreendido em defesa de nossa pátria e de nossos irmãos e irmãs brasileiros. É dessa forma, desassombrada e corajosa, na direção correta que queremos seguir na missão de defender nossa gente.

Não temos qualquer intenção de politizar o problema. Temos construído, sem dificuldade, independente de colorações partidárias, políticas e ideológicas, consensos para o bem do Sistema Único de Saúde – o SUS e, sobretudo com a saúde do povo brasileiro. Este é nosso compromisso. É isso que norteia nossas ações e esforços.

Já temos dificuldades demais para enfrentar.

Não podemos permitir o dissenso e a dubiedade de condução do enfrentamento à Covid-19. Assim, é preciso que seja reparado o que nos parece ser um grave erro do Presidente da República.

Ao invés de desfazer todo o esforço e sacrifício que temos feito junto com o povo brasileiro, negando todas as recomendações tecnicamente embasadas e defendidas, inclusive, pelo seu Ministério da Saúde, deveríamos ver o Presidente da República liderando a luta, contribuindo para este esforço e conduzindo a nação para onde se espera de seu principal governante: um lugar seguro para se viver, com saúde e bem estar.

Infelizmente o que vimos em seu pronunciamento foi uma tentativa de desmobilizar a sociedade brasileira, as autoridades sanitárias de todo o país.

Sua fala dificulta o trabalho de todos, inclusive de seu ministro e técnicos.

Todo o apoio à atuação do Ministério da Saúde e sua equipe, que tem trabalhado técnica e cientificamente em todos os momentos. Com saúde não se pode brincar e nem fazer apostas, diante do risco que corremos. É preciso discernimento, coragem e determinação para liderar, unificar e auxiliar a nação a superar mais este desafio de Emergência em Saúde Pública.

Temos plena consciência de que o Brasil e o mundo irá enfrentar uma grave recessão econômica, aprofundamento das desigualdades sociais e empobrecimento.

A economia, com trabalho, disciplina, organização e espírito público, se recuperará. Seremos solidários e trabalharemos sem descanso para permitir uma rápida recuperação da nossa economia.

Mas é preciso que se entenda, vidas perdidas, não serão recuperadas jamais.

Que Deus abençoe cada um de nós que temos trabalhado intensivamente e dormido pouco.

Que Deus abençoe e proteja todos os brasileiros e brasileiras.

#ficaemcasa”

sem comentário »

Livro de genealogia maranhense será lançado em breve

Esta é uma parte de duas familias que se juntaram ainda na Baixada Maranhense e, para cá vieram e construiram um verdadeiro clã que será descrito em um livro a ser lançado nos próximo meses. Faço parte desta raça e tenho orgulho das minhas origens, pois aí tem sangue europeu, brasileiro e acima de tudo do legítimo povo maranhense. A ideia partiu da minha irmã a jornalista Lourdes Acosta, – a primeira sentada do lado direito, na frente do meu irão Júlio César. Espero que a nossa família Pinto/Duarte possa se interessar pela pesquisa feita com o maior critério possivel.

 

Uma parte da família Pinto Duarte

Os amantes da literatura maranhense irão ganhar em breve, uma obra épica que viajou aos antepassados (no final do século XIX e começo do século XX) para resgatar as origens, histórias de vida reais, cultura e tradição, a ascendência e a descendência de cerca de 500 famílias oriundas da Baixada Maranhense. Trata-se do lançamento do livro “Árvore Genealógica dos Duartes e Pintos do Maranhão”, que, em seu formato, revela também as características regionais das localidades e da paisagem em que as primeiras famílias fincaram os pés. O lançamento será feito na capital maranhense.

 

A narrativa da autora maranhense, jornalista Lourdes Acosta, é entremeada de dados resultantes da metodologia de pesquisas “in loco”, online, depoimentos e entrevistas que vêm sendo coletadas desde 2017, após o primeiro encontro entre os Duartes e os Pintos. Utiliza uma linguagem jornalística, com referencias bibliográficas, fontes para constatações e servirá como documento de referencia familiar. O conteúdo descrito está repleto de contos, aspectos socioeconômicos, geográficos e históricos da Região nos séculos XIX e XX, principalmente, do município de São João Batista.

 

O livro começa a partir da chegada de um português na Baixada Maranhense, que se encantou por sua escrava desposando-a e dando início a extensas proles dos Duartes, e a dos Pintos, oriundos de um caboclo nativo, também descendente de raízes portuguesas, que ramificou sua espécie em meios aos engenhos de cana da época, estendendo-a nas terras que arrendava e que ainda hoje, em pleno século XX, perpetua na Região.

 

Segundo a professora e crítica literária, Niedja Duarte do Nascimento Moraes, esse projeto que foi alinhavado em 2017, quando parte das famílias que residem em São Luís se reuniram, resgata a história, a tradição, a ascendência e servirá de documento para referência familiar.

– Quem ganha com isso é quem valoriza as letras e a cultura maranhense. As famílias configuram como pano de fundo para o desenvolvimento da obra -, ressalta.

 

Ela explica que num esforço conjunto as famílias contribuíram financeiramente para a edição gráfica (revisão, capa, diagramação, impressão) do livro que será impresso pela Garcia Editorial Ltda, de Juiz de Fora/MG. A editora sob o comando de Ismael Garcia possui quase 10 anos de sucesso no mercado editorial e já se consolidou como uma das editoras que mais favorece a publicação de livros de novos escritores.

 

Para que o livro seja lançado e distribuído os organizadores estão buscando obter o apoio de empresas patrocinadoras culturais que investem em troca de isenções fiscais e promoção. “O patrocínio logístico poderá advir também de instituições públicas e privadas que poderão se beneficiar da Lei Federal de Incentivo à Cultura para execução no ano de 2020 (Lei Rouanet, nº 8.313) e das leis Estaduais que beneficiam o investidor. Outra proposta será a utilização da ‘marca’ das instituições apoiadoras como beneméritas da obra literária e sua visibilidade durante o lançamento através de publicidade – banners, vídeos, faixas”, garantiu o jornalista, diretor teatral, cineasta e produtor cultural, Jean Bottentuit Duarte, acrescentando que a campanha do marketing literário, ainda está na fase de pré-lançamento, por isso, vale a pena investir antes da impressão do livro.

 

Botentuit sustenta que a coletânea de informações formatada no livro “Árvore Genealógica dos Duartes e Pintos do Maranhão” é de uma leitura imprescindível, além de prazerosa, pois vem contribuir para o enriquecimento intelectual e cultural de cada leitor, desenvolvendo seu senso crítico e despertando-o para novas experiências.

 

O lançamento do livro está previsto para meados de junho. Os investidores que quiserem apoiar a obra na logística da impressão e do lançamento poderão entrar em contato com os envolvidos através dos telefones: (98) 988774956 – Jean; (98) 981572916 (Niedja) e (22) 998220883 (Acosta).

 

sem comentário »

Prefeito Edivaldo anuncia fiscalização nas praias de São Luís para evitar aglomeração de pessoas

O prefeito Edivaldo Holanda Junior anunciou que a partir das primeiras horas deste domingo (22) equipes da Guarda Municipal começam a fiscalizar as praias da cidade para dispersar quem ainda insiste em frequentar locais que aglomeram pessoas. Este trabalho será feito em alinhamento com o Governo do Estado, por meio do Corpo de Bombeiros. A Guarda Municipal fiscalizará as áreas de competência municipal e o Corpo de Bombeiros, as áreas de competência estadual. Esta é mais uma medida preventiva contra o novo coronavírus (Covid-19). Medidas adicionais vão ser anunciadas gradativamente nos próximos dias.

Edivaldo reforçou que não há motivo para pânico, mas que é importante a adoção de medidas de prevenção e pediu à população de São Luís que permaneça em casa, saindo apenas quando for de extrema necessidade.

No fim da tarde deste sábado (21) foi confirmado o segundo caso de Covid-19 em São Luís. Uma mulher de 37 anos que teve contato com estrangeiros foi diagnosticada em um hospital da rede privada. A primeira confirmação ocorreu na noite da sexta-feira (20). Um homem de 57 anos que havia chegado de viagem a São Paulo. Ambos apresentam sintomas leves e estão em isolamento domiciliar.

A medida extra anunciada por Edivaldo neste sábado reforça as medidas de prevenção ao novo coronavírus (Covid-19) contidas no Decreto Municipal Nº 54.890, assinado na terça-feira (17), pelo prefeito Edivaldo. Entre as várias medidas contidas no decreto está a higienização extra de toda a frota de transporte urbano – São Luís foi uma das primeiras capitais a adotar a medida -, a suspensão das aulas da rede municipal, a não concessão de licenças para eventos que possam aglomerar pessoas e estabelece o Hospital da Mulher, que tem 53 leitos (43 clínicos e 10 de UTI), como a unidade municipal de referência no atendimento aos pacientes que apresentem sintomas da doença.

Edivaldo também determinou a suspensão da Feirinha São Luís e a paralisação das as atividades do Museu da Gastronomia, do Centro de Capacitação em Culinária Típica e do Centro de Atendimento ao Turista (CAT), além da readequação dos serviços e do atendimento ao público nos órgãos municipais. Todas as medidas adotadas pelo prefeito estão em consonância com o que tem sido feito nas principais cidades do Brasil e do mundo para conter o avanço da doença entre a população.

sem comentário »