Terça-feira, 16 de julho de 2019.

Prefeitura realiza sorteio de jurados do Carnaval 2019 para os concursos da Passarela do Samba

Os 46 jurados habilitados vão avaliar o desfile das escolas de samba, blocos tradicionais e organizados; sorteio foi realizado de acordo com procedimentos recomendados pelo Ministério Público

Prefeitura realiza sorteio de jurados do Carnaval 2019 para os concursos da Passarela do SambaFantasia, samba-enredo, evolução. Essas são algumas das categorias que serão avaliadas pelos 46 jurados do Carnaval 2019 para o Concurso da Passarela do Samba, sorteados na segunda-feira (25), na sede da Secretaria Municipal de Cultura (Secult). Foram habilitados também 14 suplentes. A primeira etapa do sorteio aconteceu no sábado (23), na Sala de Multimídia do Centro de Criatividade Odylo Costa, filho, na Praia Grande. O Carnaval de Passarela é realizado pela Prefeitura de São Luís com o apoio do Governo do Estado.

O sorteio foi realizado de acordo com procedimentos recomendados pelo Ministério Público, que inclui sorteio dos jurados por categoria e, logo após, a análise dos currículos para atestar aptidão ou inaptidão de acordo com os critérios e impedimentos das categorias.

Os habilitados têm até quinta-feira (28), das 9h às 12h e das 14h às 18h para comparecer à sede da Secult para a assinatura do termo de compromisso. Os suplentes só serão convocados na desistência dos habilitados. “A escolha dos jurados teve a participação de representantes das escolas de samba, blocos tradicionais e blocos organizados exatamente para dar a devida transparência ao processo e manter a idoneidade de tudo relacionado ao Carnaval. Cabe ressaltar que também tivemos a presença de representantes do Conselho Municipal de Cultura, assegurando ainda mais a imparcialidade do resultado”, declara o secretário municipal de Cultura, Marlon Botão.

A Chamada Pública Nº 01/2019 SECULT/PMSL que trata do concurso dos jurados recebeu 100 inscrições. Os 46 jurados habilitados vão avaliar o desfile das escolas de samba, blocos tradicionais e blocos organizados. Na categoria música/texto foram classificados 27 e na categoria evolução/dança foram 10 selecionados. Já nove jurados vão avaliar a categoria visual. Entre os 14 suplentes, são oito para música/texto, quatro para evolução/dança e duas para visual.

Esteva presente nos dois dias de sorteio a Comissão de Carnaval, formada por representantes da Secult, Conselho Municipal de Cultura (Comcult), Liga das Escolas de Samba e demais Agremiações Artísticas, Folclóricas e Culturais do Estado do Maranhão (Liesma), Associação Maranhense de Blocos Carnavalescos (AMBC) e da Academia dos Blocos Tradicionais do Estado do Maranhão (Abtema).

Para o presidente do Conselho Municipal de Cultura (Comcult), Wanderson Silva, a presença de representantes dos grupos participantes do Carnaval é democratizar e tornar todo o processo mais transparente, para que dessa forma a sociedade civil e os grupos estejam cientes de todas as etapas. “Assim, contribuímos para o desenvolvimento e crescimento do Carnaval de São Luís. Visamos, com isso, melhorar e amadurecer cada vez mais os processos de organização de um evento dessa magnitude”, explica.

JURADOS DO CONCURSO DE PASSARELA DO SAMBA CARNAVAL 2019

CATEGORIA MÚSICA/TEXTO

Alessandro José de Araújo Freitas

Alcely Rosa Rodrigues Correa

Cintia Cordeiro Ferreira

Edilson Fonseca Gusmão

Emerson de Paula da Silva Costa

Erivan Nery Martins Almeida

Fernando Campos Dutra

Geferson de Jesus Ferreira

Glaucia Monteiro Pontes

Jadsuel Barroso Monteiro

Jairo Moraes Pereira

João Evangelista Garcia Junior

Jairon Martins dos Santos

José Alberto Campos de Oliveira Junior

José de Arimatéia Monteiro Santos

José Raimundo Baltazar Costa Silva

Leonardo Correa Botta Pereira

Madson Costa Peixoto

Manoel da Conceição Santos Da Mota

Marcelo de Sousa Araújo

Marco Aurelio Aparecido Da Silva

Mariana Pinheiro de Sousa

Nelma Carafunim Barbosa Pereira

Plinio Santos Fontenelle

Ronaldo Pereira Ribeiro

Thays Conceição de Jesus Barbosa Silva

Valdeson de Abreu Monteiro

CATEGORIA EVOLUÇÃO/DANÇA

Ana Julia Martins Ferreira

Daniel Raimundo Almeida de Jesus

Edilson da Silva Brito

Eduarda Milena Aguiar Saraiva

Jorgean Braga Ribeiro

Josiane de Jesus da Silva

Munique Teixeira da Silva

Rafaela Marinho Cutrim

Samuel Wagner Sousa Guimarães

Silvana Raposo Cartagenes

CATEGORIA VISUAL

Edson de Lima Cartilho Gouvea

Frederico Fernando Souza Silva

Ivo Borgneth Rabelo

João Carlos Barbosa Belfort

José Moraes Junior

Leonardo Sartorio Yamamoto

Monica Rodrigues de Farias

Rita de Cassia Barbosa Pecegueira Anchieta

Wharles Klay Neves de Lemos

SUPLENTES

André Roberto Lopes Pereira – MÚSICA/TEXTO

Eriverton Nunes Mendonça Junior – VISUAL

Ione Antonia Pereira Coelho – VISUAL

Isabela Cristina Sousa Queiroz – MÚSICA/TEXTO

Ismaéle-Gádia Silva De Araújo – EVOLUÇÃO/DANÇA

Jessica Mendonça de Carvalho – MÚSICA/TEXTO

Joana Maria Bittencourt – MÚSICA/TEXTO

Maria Diana Matos Pereira – EVOLUÇÃO/DANÇA

Marinildes de Brito Sousa – EVOLUÇÃO/DANÇA

Patricia Regina Carneiro Brenha – MÚSICA/TEXTO

Reinaldo Coqueiro Rodrigues – MÚSICA/TEXTO

Reinilda De Oliveira Santos – MÚSICA/TEXTO

Thayrine Larissa Melonio Almeida – MÚSICA/TEXTO

Vanessa de Sousa Bastos – EVOLUÇÃO/DANÇA

sem comentário »

Um olhar sobre a cidade – I

O Largo do Carmo com destaque para o Casarão Verde, um dos mais lindos prédios de São Luís.

Talvez seja eu um romântico e saudoso dos tempos passados nesta cidade chamada São Luís, capital de todos os maranhenses, e, até de outros cidadãos do mundo. Sentei para escrever este texto, com a saudade no coração e na mente, lembrando-me dos dias em que vivi as delícias de uma pacata e serena aglomeração urbana cheia de ruas estreitas e casarões imponentes.

Diria o saudoso Milton Carlos; “ei lá se foi felicidade, do Largo do Boticário, a gente morre de saudade”.

Claro que não tínhamos o Boticário, mas sim o Largo do Carmo, a Praça João Lisboa, o Largo dos Amores, o do Desterro. Quanta saudade!

A velha estrada de ferro atravessando a cidade em direção ao Tirirical, o Caminho Grande dando acesso à principal praia da época, Olho D’agua, o antigo Mercado do João Paulo, bairro onde passei um bom tempo, depois mudando para o centro.

E as lembranças vão fluindo na minha memória procurando entender hoje as modificações sofridas e a falta que nos faz a nossa amada e “velha” São Luís.

Com licença, por favor, desculpe, posso ajudar? Assim eram as pessoas daquela época. Não se colocava lixo nas ruas, e no trânsito a educação era seguida das normas estabelecidas pela legislação vigente. O ludovicence era conhecido como o mais receptivo e mais hospitaleiro entre os moradores do país.

O QUE É LUDOVICENCE?

(Para chegar ao gentílico “ludovicense”, relativo à cidade de São Luís, capital do Maranhão, recorreu-se ao nome próprio latino Ludovicus, derivado do germânico Hlodoviko – que vem a ser a origem remota do português Luís). Desde o início do século XVII já estava em circulação a forma “são-luisense”, esta de formação popular.

E as lembranças avançam na minha mente do tempo de estudante no Jardim de Infância Luís Serra na Rua Afonso Pena, depois a Escola Modelo no Largo de Santo Antônio, passando pelo Colégio de São Luís e CEMA, o velho Cine Éden na Rua Grande, o Roxy na Rua do Egito, o futebol com o meu pai no Estádio Santa Isabel e a escolha do Sampaio Correia para ser torcedor.

“Ei lá se foi felicidade”. Hoje quando me vejo em uma cidade abandonada pelo poder público, os olhos marejam e o peito se enchente de angústia, por falta de autoridade, ensejando um comentário tão perversos para São Luís; Terra de muro baixo!

A população cresceu desordenada e com ela os valores deixaram de ser respeitados, cada qual faz o que bem entende, as ruas estão cheias de “donos”, o trânsito é caótico, as escolas caem aos pedaços, a criminalidade aumenta a cada dia e o cidadão é o maior prejudicado.

Ninguém respeita o seu direito, o comerciante entende que pode colocar obstáculos em cima das calçadas, e fica por isso mesmo, o outro dirige pela contramão e se chamado à atenção, ainda parte para brigar. Falta harmonia, falta respeito, falta cidadania, falta fiscalização.

Vou parando por hoje, mas com certeza, postarei mais sobre esta cidade, tão especial, onde nasci, onde trabalho e vivo, procurando ensinar aos meus descendentes, que não se maltrata o que se ama. E como diria o poeta Ivan Sarney, “é preciso amar a cidade”.

Voltarei, com outros artigos sobre Um Olhar Sobre a Cidade!

 

sem comentário »

Ministro do Turismo garante apoio a projetos da Prefeitura de São Luís





Em visita ao prefeito de São Luís, João Castelo, no Palácio La Ravardière, o ministro do Turismo, Gastão Vieira, garantiu apoio incondicional à execução de projetos em parceria com a Prefeitura para alavancar o turismo na capital maranhense. Em uma reunião, que durou cerca de uma hora, Castelo explanou ações importantes que já vêm sendo realizadas pela administração municipal.
“O Ministério do Turismo sinaliza com a realização de projetos, em parceria com a Prefeitura, no cuidado de dar apoio as suas atividades e ações. Por ser histórica, Patrimônio da Humanidade e estar às vésperas de completar seus 400 anos, o Governo Federal tem compromisso especial com esta cidade. Precisamos ter um olhar especial pelo Centro Histórico”, ressaltou Gastão Vieira. 
Durante a audiência, Castelo afirmou que, no aniversário do quarto centenário, a capital maranhense estará bem melhor do que a cidade que encontrou em 2009, quando assumiu o mandato. Obras de drenagem e de infraestrutura, espalhadas pelos bairros da capital, estão mudando a realidade de São Luís e a população está ganhando mais qualidade de vida.
“O ministro Gastão Vieira mostra que emana do nosso mesmo desejo de transformar nossa São Luís em uma cidade mais digna e que proporcione uma qualidade de vida ainda melhor à sua população”, assinalou João Castelo.
Na área do Turismo, a Prefeitura desenvolve importantes projetos e ações como a articulação do primeiro voo internacional regular São Luís/Itália, o Plano de Marketing, Marca Turística, Aliança pelo Centro Histórico com lavagem de monumentos, Informante Anfitrião, iluminação artística de pontos turísticos, revitalização do Mercado da Praia Grande, Serenata História, São Luís é um Palco, entre outros.
Além disso, realiza obras em parceria com o PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) do Centro Histórico, que visa recuperar prédios históricos, como por exemplo, a transformação do antigo Cine Roxy no Cine Teatro Municipal. A Prefeitura já garantiu também a revitalização total da Fonte do Ribeirão.
No final, Castelo e Gastão Vieira, que estava acompanhado do assessor especial do Ministério do Turismo, Mauro Formiga, fizeram um pequeno passeio pelas dependências do Palácio La Ravardière. Esteve presente também, durante a visita, o secretário municipal de Governo, Albertino Leal.
Marca Turística – Castelo adiantou que, na próxima terça-feira, a Prefeitura lançará a Marca Turística e o Plano São Luís. A estratégia de marketing visa à construção da imagem e ao posicionamento da capital maranhense como destino turístico no mercado interno e eventuais oportunidades no mercado internacional.  O evento acontece às 20h, no Hotel Luzeiros.
“A Prefeitura de São Luís está apostando no turismo como gerador de empregos e de renda para a cidade”, enfatizou João Castelo.
Além do prefeito, participarão do evento o consultor-chefe do consórcio Chias Marketing e ex-presidente da Embratur, Eduardo Sanovicz, secretários municipais, deputados estaduais e federais, vereadores e representantes do trade turístico e outros segmentos.
  
O Plano de Marketing é um dos projetos viabilizados dentro do Programa de Recuperação Ambiental e Melhoria da Qualidade de Vida da Bacia do Bacanga, financiado pelo Banco Mundial (Bird), que possui, em suas propostas, ações mais amplas que têm como objetivo beneficiar a cidade de forma global.
sem comentário »