Domingo, 18 de agosto de 2019.

LER e DORT são as doenças que mais acometem os trabalhadores, aponta estudo

As Lesões por Esforços Repetitivos (LER) e os Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT) são as doenças que mais afetam os trabalhadores brasileiros. A constatação é do estudo Saúde Brasil 2018, do Ministério da Saúde. Utilizando dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), o levantamento aponta que, entre os anos de 2007 e 2016, 67.599 casos de LER/Dort foram notificados à pasta. Neste período, o total de registros cresceu 184%, passando de 3.212 casos, em 2007, para 9.122 em 2016. Tanto o volume quanto o aumento nos casos nesse período sinalizam alerta em relação à saúde dos trabalhadores.

Os dados, que constam no capítulo ‘Panorama de Doenças Crônicas Relacionadas ao Trabalho no Brasil’, indicam aumento na exposição de trabalhadores a fatores de risco, que podem ocasionar incapacidade funcional. O estudo apontou, também, que esses problemas foram mais recorrentes em trabalhadores do sexo feminino (51,7%), entre 40 e 49 anos (33,6%), e em indivíduos com ensino médio completo (32,7%). A região que registrou o maior número de casos foi o Sudeste, com 58,4% do total de notificações do país no período. Em 2016, os estados que apresentaram os maiores coeficientes de incidência foram Mato Grosso do Sul, São Paulo e Amazonas.

Já quando falamos nos setores ocupacionais, a ocorrência de LER e DORT foi maior nos profissionais que atuam nos setores da indústria, comércio, alimentação, transporte e serviços domésticos/limpeza. Nas profissões; os faxineiros, operadores de máquinas fixas, os alimentadores de linhas de produção e os cozinheiros foram os mais atingidos com algum desses problemas de saúde no trabalho.

A LER e o DORT são danos decorrentes da utilização excessiva do sistema que movimenta o esqueleto humano e da falta de tempo para recuperação. Caracterizam-se pela ocorrência de vários sintomas, de aparecimento quase sempre em estágio avançado, que ocorrem geralmente nos membros superiores, tais como dor, sensação de peso e fadiga. Algumas das principais, que acometem os trabalhadores, são as lesões no ombro e as inflamações em articulações e nos tecidos que cobrem os tendões.

Essas doenças são relacionadas ao trabalho e podem prejudicar a produtividade laboral, a participação na força de trabalho e o comprometimento financeiro e da posição alcançada pelo trabalhador. Além disso, elas são responsáveis pela maior parte dos afastamentos do trabalho e representam custos com pagamentos de indenizações, tratamentos e processos de reintegração à ocupação.

AÇÕES DE PREVENÇÃO

Para prevenir agravos como esses, o Ministério da Saúde recomenda aos empregadores atenção à Norma Regulamentadora 17, que estabelece parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto, segurança e desempenho eficiente. Também, é importante que os empregadores promovam ações de educação em saúde aos trabalhadores em conjunto com os Centros de Referência em Saúde do Trabalhador (CEREST) de cada região.

Saiba onde estão localizados os CEREST estaduais

Os CEREST compõem a Rede Nacional de Atenção Integral à Saúde do Trabalhador (RENAST), implementada de forma articulada entre o Ministério da Saúde, as Secretarias de Saúde dos Estados, do Distrito Federal e dos municípios, com o envolvimento de órgãos de outros setores dessas esferas. A RENAST integra a rede de serviços do SUS, voltados à promoção, à assistência e à vigilância, para o desenvolvimento das ações de Saúde do Trabalhador.

Os empregados, também, possuem participação essencial nesse fluxo. A realização de ginástica laboral no local de trabalho, a criação de hábitos de pausas regulares durante o período de trabalho, a realização regular dos movimentos corporais, evitar horas extras e sobrecarga mental e a utilização de mobiliários ergonômicos são medidas que podem contribuir para o não surgimento destas e outras doenças.

Por fim, a qualquer sinal de dores, o trabalhador deve procurar um médico especialista. É fundamental agir também nas causas, com base nos limites físicos e psicossociais do trabalhador.

Por Victor Maciel, da Agência Saúde

 

sem comentário »

Justiça reconhece esforço da gestão municipal e homologa acordo de melhorias no Hospital da Criança

A Prefeitura de São Luís tem implementado esforços no sentido de melhorar as condições do Hospital Dr. Odorico Amaral de Matos; ações foram reconhecidas pelo poder judiciário em audiência ocorrida nesta sexta-feira (22)

Justiça reconhece esforço da gestão municipal e homologa acordo de melhorias no Hospital da Criança

 

Em audiência de conciliação conjunta realizada na Câmara Civil Isolada do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJ-MA), nesta sexta-feira (22), a Justiça homologou acordo para o cumprimento de medidas no Hospital Dr. Odorico Amaral de Matos – Hospital da Criança. Após defesa apresentada pelo município, o desembargador Jorge Rachid, que presidiu a audiência, reconheceu as ações que vem sendo implementadas pela Prefeitura de São Luís no que diz respeito a melhoria do funcionamento da unidade de saúde.

“A Prefeitura está conduzindo essas questões com muita seriedade e comprometimento, e eu tenho certeza que com a homologação do acordo que estabelecemos nessa audiência, vamos dar solução aos problemas e fazer do Hospital da Criança uma grande casa de saúde”, afirmou o desembargador Jorge Rachid.

A audiência, que tratou de recurso interposto pela Defensoria Pública e Ministério Público do Maranhão contra a Prefeitura de São Luís e que pede o bloqueio dos recursos públicos destinados ao Carnaval para serem utilizados no Hospital da Criança, culminou na homologação de acordo para o cumprimento de medidas na unidade de saúde. Participaram da audiência o titular da Vara de Interesses Difusos e Coletivos, juiz Douglas de Melo Martins; os desembargadores José Luís Oliveira e Alexandre Abreu; a promotora de Justiça da Saúde, Elisabeth Albuquerque, os defensores públicos Davi Rafael Veras e Jean Carlos Nunes; o procurador-geral da Câmara, Vitor Cardoso. A Prefeitura de São Luís foi representada na sessão pelo procurador-adjunto de São Luís, Domerval Alves Moreno Neto e pelo secretário municipal de Saúde, Lula Fylho.

O titular da Vara de Interesses Difusos e Coletivos, juiz Douglas de Melo Martins, também destacou o comprometimento e a postura adotada pelo município para dar solução às questões dirimidas no acordo homologado nesta sexta-feira (22). “A Prefeitura tem adotando sempre uma postura responsável, assumindo os compromissos que podem cumprir, mas sem se isentar da necessidade de assumir outros compromissos que são efetivamente importantes para a melhoria do Hospital da Criança. O poder judiciário está muito satisfeito com a postura da administração municipal de assumir o compromisso de resolver as questões que foram colocadas aqui para melhoria do Hospital da Criança”, afirmou o juiz.

AVANÇOS

O secretário Lula Fylho considerou positiva a audiência e todos os aspectos acordados. Segundo ele, a reunião também foi salutar inclusive no aspecto de possibilitar à gestão municipal mostrar que muita coisa já foi realizada no Hospital da Criança e que o retrato apresentado na ação não condiz mais com a atual realidade da unidade, um aspecto que, inclusive, pôde ser constatado na visita realizada ao local, esta semana, na qual compareceram o Juiz Douglas de Melo Martins e dois defensores públicos que puderam observar os avanços obtidos na unidade, fruto dos investimentos empreendidos na atual gestão.

“A audiência serviu para discutirmos os próximos passos e não ficarmos presos a um retrato passado que não condiz mais com a realidade. Outro aspecto que eu considero importante destacar com a realização dessa audiência é que coloca dentro de um esforço coletivo de mudança diversos órgãos e poderes, tirando a responsabilidade apenas do município. Pois quando se quer avançar, os acordos em favor do bem comum são mais importantes que ficar conflitando. E a vontade de todos os envolvidos em contribuir com o avanço na área da saúde ficou muito bem claro na audiência”, observou o secretário Lula Fylho.

Em sua exposição na audiência de conciliação, Lula Fylho pontuou algumas melhorias já implementadas no Hospital da Criança. “Tivemos avanços significativos em todos os setores da unidade. O prefeito Edivaldo tem total interesse em resolver todas essas questões e cobra resolutividade. Afirmo, seguramente, que a realidade hoje no hospital é bem diferente do início do ano passado. Só para se ter uma ideia, estamos desde novembro passado sem nenhum paciente no corredor, apesar do aumento da demanda e da gravidade dos pacientes que tem chegado ao hospital vindos de todos os cantos do estado”, enfatizou.

Um dos pontos acordados na audiência diz respeito ao atendimento de pacientes recém-nascidos, de zero a 28 dias, que não é o perfil do hospital atender e estão fora do sistema de regulação de leito da unidade. “O município não tem responsabilidade de atender pacientes recém-nascidos, dentro dessa faixa etária, mas mesmo assim atendemos e enfrentamos muitas vezes a dificuldade com a falta de insumos necessários, uma das questões apontadas aqui na audiência. Mas a justiça entendeu esse aspecto quanto e, conjuntamente, dirimimos a realização de um melhor mapeamento desses atendimentos que não são de nossa responsabilidade, para que o Ministério Público tome providências acerca das responsabilidades sobre esse assunto”, disse o secretário.

Para a realização desse mapeamento, será criado um sistema pelo setor Tecnologia de Informação (TI) da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), com vistas ao melhor monitoramento das demandas de pacientes recém-nascidos. O sistema informará, inclusive, sobre o estoque de insumos, materiais e medicamentos para esses pacientes, fornecendo à administração do hospital dados precisos sobre a falta desses produtos, para que, assim, sejam tomadas providências no tempo mais breve possível e evite o desabastecimento.

PACIENTES

Conforme o secretário, cerca de 93% dos pacientes atendidos na ala vermelha do Hospital da Criança (dados de janeiro de 2019), são oriundos do interior do Maranhão, sendo que 43% são pacientes vindos de municípios não pactuados com a rede municipal de saúde de São Luís, para a prestação do atendimento. “Mas mesmo assim, nós não nos omitimos de atender nenhum desses pacientes. Ainda assim, conseguimos reduzir os óbitos em números absolutos. Reduzimos também os casos de infecções e estabelecemos muitas melhorias nos setor de nutrição, entre outras áreas”, acrescentou o gestor.

Ano passado foi feita compra de cerca de R$ 4 milhões de medicamentos e insumos. Esse ano, segundo o gestor, será comprado muito mais ainda para a unidade, com a melhoria dos processos de compra do sistema municipal de saúde.

sem comentário »

Prefeitura de São Luís inicia Campanha de Vacinação Antirrábica nesta sexta-feira (8)

A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), inicia nesta sexta-feira (8), a Campanha de Vacinação Antirrábica, que vai imunizar cães e gatos contra a raiva. A ação, que segue orientação do prefeito Edivaldo Holanda Júnior, vai começar no distrito Centro e será realizada todas as sextas-feiras e sábados, com um efetivo de mais de 200 técnicos que vão vacinar de casa em casa, até o mês de abril. A meta é imunizar 160 mil animais em toda a capital maranhense.

“A gestão do prefeito Edivaldo está fazendo sua parte e nossa equipe foi treinada e está preparada para cumprir a meta estabelecida, mas devemos lembrar que a colaboração dos donos dos animais é muito importante para o êxito da campanha. Eles precisam entender que a imunização é a única estratégia para prevenir a raiva, que é uma doença quase sempre letal”, alerta o secretário.

O coordenador da Unidade de Vigilância Epidemiológica (UVZ), João Batista Pires, diz que apenas cães e gatos com idades a partir de três meses podem receber a vacina antirrábica, e a única restrição é para animais que estejam doentes e fêmeas no último mês de gestação. Ele pede a colaboração da população. “É importante que durante a vacinação o animal seja conduzido por um adulto; e pedimos também que o dono da casa verifique a identificação do agente vacinador antes de permitir a entrada”, orienta João Batista.

O último caso de raiva foi registrado em São Luís foi no ano de 2013, e desde o início da gestão Edivaldo a manutenção do controle epidemiológico tem sido prioridade, com a realização anual das campanhas de vacinação e disponibilização da vacina antirrábica nas unidades de saúde.

A raiva é uma infecção viral aguda, transmitida para seres humanos a partir da mordida, lambida ou ferida causada por animais infectados. A doença é considerada fatal, com índice de letalidade de aproximadamente 100%. Entre os sintomas da doença no animal estão mudança de comportamento, dificuldade para engolir e excesso de salivação.

sem comentário »

Hildo Rocha prestigia posse de novo ministro da saúde e pede correção nos repasses do SUS

O deputado federal Hildo Rocha tem usado a sua capacidade de articulação com a finalidade de conquistar recursos federais para o Maranhão. Ontem o parlamentar participou da posse de vários ministros do governo Bolsonaro.

Hildo Rocha não perdeu tempo. Logo após a posse do médico Luiz Henrique Mandetta, nomeado para o Ministério da Saúde, o parlamentar dialogou acerca de valores que o Sistema Único de Saúde (SUS) repassa para algumas unidades de saúde de municípios maranhenses.

Correção nos repasses financeiros para os municípios

O objetivo do parlamentar é conseguir o aumento nos valores repassados pelo Sistema único de Saúde (SUS) para acabar com a defasagem que afeta diversos municípios, forçando-os a utilizar recursos próprios para cobrir despesas porque produzem muito acima daquilo que recebem para atendimentos de saúde.

Agentes de Saúde  e de Combate às Endemias

Hildo Rocha também tratou sobre a melhoria das condições de trabalho dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e dos Agentes de Combate às Endemias (ACE). “Esses profissionais precisam de atenção especial para que possamos melhorar a saúde preventiva e, assim, evitar que tenhamos hospitais superlotados por falta de uma atenção básica melhor”, argumentou o deputado.

Saúde indígena

O parlamentar disse que a Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI) continuará sob o comando de Marco Antonio Toccolini. “A gestão do órgão irá passar por ajustes que são indispensáveis para tornar a saúde indígena mais eficiente. Embora Toccolini tenha conseguido melhora significativa nos resultados é necessário aprimorar mais ainda. Falta mais comprometimento de alguns profissionais da saúde que trabalham com os indígenas no sentido de melhorar os indicadores. Gasta-se muito com a saúde indígena, mas o resultado ainda está abaixo da média do Sistema Único de Saúde. Por isso, é necessário aprimoramento para que os indígenas do Maranhão e de todo o país possam dispor de melhores serviços de saúde”, enfatizou Hildo Rocha.

O perfil técnico do novo Ministro da saúde

Hildo Rocha acredita que o Ministro Luiz Henrique Mandetta irá melhorar bastante os serviços de saúde pública porque tem experiência e competência comprovada.

“O meu amigo Mandetta irá fazer uma revolução na saúde do nosso país, pois o mesmo tem experiência, conhece os principais problemas da saúde do Brasil, é competente e terá o apoio do presidente Jair Bolsonaro, do parlamento brasileiro e dos profissionais da saúde. Ele será um bom ministro, sem dúvida alguma”, assegurou o parlamentar.

Governadores, prefeitos, deputados e senadores participaram da posse do ministro Luís Henrique Mandetta. Do Maranhão participaram apenas os deputados federais Hildo Rocha, Juscelino Filho e Aluísio Mendes.

sem comentário »

Marcação de consultas por telefone agiliza atendimento no Hospital da Mulher

Três mil é a média de atendimentos realizados por meio da plataforma de marcação de consultas implantada pela Prefeitura de São Luís no Hospital da Mulher, no Anjo da Guarda. Completando um mês de informatização, a Central de Chamadas (call center) permite o agendamento das diversas especialidades, via telefone. Com isso, quem procura o serviço ganha tempo e tem sua demanda atendida de forma mais breve.

“A implantação deste sistema integra o planejamento da Prefeitura de São Luís para dinamizar e melhorar os serviços prestados à população na área de saúde. A plataforma será aperfeiçoada para garantir ainda mais brevidade na marcação. Isso mostra o compromisso e respeito da gestão do prefeito Edivaldo com a saúde dos ludovicenses e com a prestação de um serviço de mais qualidade”, enfatizou o secretário municipal de Saúde (Semus), Lula Fylho.

Uma das principais vantagens do sistema foi findar as filas de pessoas no aguardo das senhas para consulta, aponta a diretora geral da unidade, Natalia Mandarino. “Ficou mais cômodo e ágil a forma de marcação, pois as pessoas não precisam mais sair de suas casas, basta ligar e ter sua data agendada. A espera é mínima e quando vêm à unidade a pessoa já sabe que será atendida”, explica. A central se consolida como mais um importante serviço oferecido pela unidade de saúde implantado na gestão do prefeito Edivaldo, pontua a diretora geral.

Para o paciente, a plataforma qualificou bastante o atendimento de marcação. É o que avalia a professora Rosária Silva, 56 anos. Moradora do bairro, ela diz que utiliza com regularidade os serviços do hospital e aprovou o sistema de marcação. “A gente consegue marcar a especialidade e até que o tempo de espera é pouco. Eu liguei há uma semana e já estou para consultar. A gente espera que melhore ainda mais”, diz ela, que aguardava para consultar com ginecologista.

A técnica de enfermagem, Adriana Sousa, 37 anos, avalia que o sistema facilita bastante a marcação. “Pelo menos a gente não precisa mais ficar na fila esperando e agora, a gente liga, marca e sabe que vai ser atendido”, enfatiza. Mais agilidade e sem perda tempo são as vantagens apontadas pela estudante Mariana Ferreira, 23 anos. “Eu gostei porque de onde a gente tiver pode ligar e marcar. Você já fica sabendo o dia, o horário e é só vir consultar. Muito bom, porque a gente não tem mais que passar horas em fila”, disse a jovem.

 

AGENDAMENTO

O funcionamento do call center do Hospital da Mulher é realizado pelo Sistema de Regulação do Ministério da Sáude (Sisreg). A agilidade se dá pelo fato das consultas serem solicitadas diariamente e não apenas uma vez por mês, como era antes da informatização do serviço. São seis atendentes em cada turno – manhã e tarde – agendado consultas ambulatoriais. Entre as especialidades que podem ser marcadas está ginecologia clínica, mastologia, endocrinologia, urologia, proctologia e cardiologia.

serviço será aprimorado com a implantação do atendimento eletrônico, antecedendo o atendente de fato. Dessa forma, ao acionar o sistema, mesmo que não haja atendente disponível, a pessoa será direcionada para um canal de mensagem com gravação de aguardo de espera e delimitação de tempo. “Uma voz mecânica vai avisar a pessoa que em poucos minutos ela será atendida e vai direcionar diretamente ao atendimento com os profissionais. Não haverá mais sinal de ocupado nos telefones”, pontuou a diretora geral, Natalia Mandarino.

A gestora explica que a medida busca cada vez mais melhorar o relacionamento com o cliente a partir da adoção de ferramentas capazes de direcionar o atendimento para um operador. “Para isso, a Prefeitura realiza cada vez mais investimentos em tecnologia. Considerando o mundo cada vez mais tecnológico que vivemos, as pessoas procuram mais opções de atendimento diferenciado conforme sua necessidade. Nesse sentido, o Hospital da Mulher está à frente”, conclui a diretora geral.

ESTRUTURA

Além do atendimento especializado ao público feminino, no Hospital da Mulher funciona o Centro de Referência de Assistência em Alta Complexidade na especialidade de Neurocirurgia. O serviço que passou a ser ofertado na unidade após a reestruturação geral promovida na gestão do prefeito Edivaldo, que melhorou a estrutura física e na implantação de novas especialidades.

O hospital teve ampliado o número de leitos de internação de 24 para 50. Houve ainda a implantação de 10 leitos de UTI e de serviços de diagnóstico por imagem, como tomografia computadorizada, Raio X e ultrassom. Eletroneuromiografia, biópsias, punção de mama e de tireóide, retirada de nódulos benignos também estão na lista de serviços oferecidos às pacientes da unidade.

SERVIÇO
Para agendar: 3228-4713 / 3228-4699 / 3228-4281 – de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 17h.

sem comentário »

Obesidade atinge 15,6% da capital maranhense e colabora para maior prevalência de hipertensão e diabetes

  • Dados inéditos divulgados pelo Ministério da Saúde alertam para prevalência alta da obesidade mesmo entre mais jovens, pessoas de 25 a 44 anos
  • Consumo de alimentos ultraprocessados e sedentarismo impactam no avanço das doenças crônicas: mais de 25% da população adulta têm diagnóstico de hipertensão
  • Estudo aponta ainda que, apesar do cenário preocupante, brasileiro reduziu quase pela metade o consumo de refrigerantes e passou a fazer mais atividade física no lazer.

O brasileiro está mais obeso. Em 10 anos, a prevalência da obesidade passou de 11,8% em 2006 para 18,9% em 2016, atingindo quase um em cada cinco brasileiros. Em São Luís, a prevalência da obesidade está abaixo da média nacional, 15,6% da população está obesa. Os dados inéditos divulgados nesta segunda-feira (17/4) fazem parte da Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) realizada pelo Ministério da Saúde em todas as capitais do país. O resultado reflete respostas de entrevistas realizadas de fevereiro a dezembro de 2016 com 53.210 pessoas maiores de 18 anos das capitais brasileiras.

Imagem relacionada

Segundo a pesquisa, o crescimento da obesidade é um dos fatores que pode ter colaborado para o aumento da prevalência de diabetes e hipertensão, doenças crônicas não transmissíveis que piora a condição de vida do brasileiro e podem até matar. O diagnóstico médico de diabetes passou de 5,5% em 2006 para 8,9% em 2016 e o de hipertensão de 22,5% em 2006 para 25,7% em 2016. Em ambos os casos, o diagnóstico é mais prevalente em mulheres. Na capital do Maranhão, 18,2% disseram ter diagnóstico médico de hipertensão, e 6,8%, de diabetes.

 

“O Ministério da Saúde tem priorizado o combate à obesidade com uma série de políticas públicas, como Guia Alimentar para População Brasileira. A alimentação saudável aliada a prática de atividade física nos ajudará a reduzir a incidência de doenças como diabetes e hipertensão na população”, declarou o ministro Ricardo Barros.

 

O Vigitel, realizado pelo Ministério da Saúde desde 2006, auxilia para conhecer a situação de saúde da população e é utilizado como base para planejar ações e programas que reduzam a ocorrência de doenças crônicas não transmissíveis, melhorando a saúde do brasileiro.

 

EXCESSO DE PESO E OBESIDADE – A obesidade aumenta com o avanço da idade. Mas mesmo entre os mais jovens, de 25 a 44 anos, atinge indicador alto: 17%. Excesso de peso também cresceu entre a população. O percentual de quem possui Índice de Massa Corporal (IMC) entre 25 kg/m² e 30 kg/m², passou de 42,6% em 2006 para 53,8% em 2016. Já é presente em mais da metade dos adultos que residem em capitais do país. Em São Luís, menos da metade da população (47,9%), está com excesso de peso.

 

A pesquisa também mostra a mudança no hábito alimentar da população. Os dados apontam uma diminuição da ingestão de ingredientes considerados básicos e tradicionais na mesa do brasileiro. O consumo regular de feijão diminuiu 67,5% em 2012 para 61,3% em 2016. E apenas 1 entre 3 adultos consomem frutas e hortaliças em cinco dias da semana. Esse quadro mostra a transição alimentar no Brasil, que antes era a desnutrição e agora está entre os países que apresentam altas prevalências de obesidade.

 

MENOS REFRIGERANTE – Entre as mudanças positivas nos hábitos identificados na pesquisa está a redução do consumo regular de refrigerante ou suco artificial. Em 2007, o indicador era de 30,9% e, em 2016 foi 16,5%.

A população com mais de 18 anos está praticando mais atividade física no tempo livre. Em 2009, 30,3% da população fazia exercícios por pelo menos 150 minutos por semana, já em 2016 a prevalência foi de 37,6%. Nas faixas etárias pesquisadas, os jovens de 18 a 24 anos são os que mais praticam atividades físicas no tempo livre.

INCENTIVO A HÁBITOS SAUDÁVEIS  O incentivo para uma alimentação saudável e balanceada e a prática de atividades físicas é prioridade do Governo Federal. Assim que assumiu o Ministério da Saúde, Ricardo Barros publicou uma Portaria proibindo venda, promoção, publicidade ou propaganda de alimentos industrializados ultraprocessados com excesso de açúcar, gordura e sódio e prontos para o consumo dentro das dependências do Ministério. A pasta também participou da assinatura da portaria de Diretrizes de Promoção da Alimentação Adequada e Saudável nos Serviço Público Federal. Sugerida pelo Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, a diretriz orienta formas da alimentação adequada e saudável nos ambientes de trabalho do serviço público federal. Além disso, constrói uma campanha pela adoção de hábitos saudáveis chamada Saúde Brasil.

 

O Ministério da Saúde também adotou internacionalmente metas para frear o crescimento do excesso de peso e obesidade no país. Durante o Encontro Regional para Enfrentamento da Obesidade Infantil, realizado em março em Brasília, o país assumiu como compromisso deter o crescimento da obesidade na população adulta até 2019, por meio de políticas intersetoriais de saúde e segurança alimentar e nutricional; reduzir o consumo regular de refrigerante e suco artificial em pelo menos 30% na população adulta, até 2019; e ampliar em no mínimo de 17,8% o percentual de adultos que consomem frutas e hortaliças regularmente até 2019.

 

Outra ação para a promoção da alimentação saudável foi a publicação do Guia Alimentar para a População Brasileira. Reconhecida mundialmente pela abordagem integral da promoção à nutrição adequada, a publicação orienta a população com recomendações sobre alimentação saudável e consumo de alimentos in natura ou minimamente processados.

 

Em parceria com a Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação (ABIA), o Ministério também conseguiu retirar mais de 14 mil toneladas de sódio dos alimentos processados em quatro anos. O país também incentiva a prática de atividades físicas por meio do Programa Academia da Saúde com mais 4 mil polos habilitados e 2.012 com obras concluídos.

 

QUEDA DA MORTALIDADE – O conjunto de ações do Governo Federal, com expansão do acesso a serviços de saúde, diagnóstico precoce e tratamento, além das ações de promoção da saúde, já impacta na queda de óbitos precoce por Doenças Crônicas Não Transmissíveis. Dados do Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM) do Ministério da Saúde mostra uma redução anual de 2,6% da mortalidade prematura por doenças crônicas entre adultos (30 a 69 anos).

 

“Aumentamos a identificação das Doenças Crônicas Não Transmissíveis na população, o acesso a assistência, com consultas e busca ativa e também a assistência aos medicamentos para controle o que já demonstra redução significativa nas mortes prematuras por estas doenças. Isso mostra o bom funcionamento das políticas públicas de saúde atingindo a população como um todo”, completou o ministro Ricardo Barros.

 

Com isso, o Brasil já cumpre a meta para reduzir mortalidade por doenças crônicas parte do Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis no Brasil 2011-2022. A meta inicial era de reduzir as taxas de mortalidade prematuras em 2% ao ano até 2022. Anualmente doenças cardiovasculares, respiratórias crônicas, diabetes e câncer respondem por 74% dos óbitos e são a primeira causa de mortes no país.

Fonte: Ministério da Saúde.

sem comentário »

Gil Cutrim inaugura Unidade Básica de Saúde do Recanto Verde

Nova UBS foi a decima primeira unidade implantada pelo prefeito em São José de Ribamar. Várias outras foram reformadas e ampliadas e quatro já estão com recursos garantidos para serem construídas a partir do ano que vem.

 

Em solenidade realizada na manhã desta sexta-feira (16), o prefeito Gil Cutrim (PDT) entregou à população a Unidade Básica de Saúde do bairro Recanto Verde, situado as margens da MA – 201, próximo ao Shopping Pátio Norte.

A cerimônia, que contou com as presenças de vários vereadores – eleitos e reeleitos – lideranças comunitárias e moradores, marcou as comemorações em homenagem aos 389 de fundação de São José de Ribamar.

A UBS foi construída em um terreno, cuja localização, é estratégica para atender as milhares de famílias moradoras de quatro empreendimentos imobiliários (Recanto Verde I, II, III e IV) instalados há pouco mais de dois anos na cidade. Os serviços foram custeados com recursos federais e da prefeitura.

Em seis anos, essa foi a decima primeira unidade implantada por Cutrim em São José de Ribamar. Várias outras foram reformadas e ampliadas e quatro já estão com recursos garantidos para serem construídas a partir do ano que vem.

“O prefeito Gil é, sem dúvida, o prefeito que mais trabalhou pelo setor da saúde de nosso município. Estamos muito felizes e satisfeitos”, disse a dona-de-casa Maria Raimunda Oliveira, moradora do Recanto Verde III.

Para o vereador eleito Serra Alta, Gil Cutrim dá exemplo para todo o Maranhão ao finalizar sua gestão inaugurando novas obras e expandindo, cada vez mais, os serviços de saúde no município.

“Na maioria das cidades, o que se vê são gestores com dificuldades de honrar até o pagamento dos salários dos servidores. Aqui, em São José de Ribamar, além de manter em dia o pagamento do funcionalismo, o prefeito Gil continua entregando obras e beneficiando o povo”, afirmou.

Gil Cutrim agradeceu o apoio e carinho dos ribamarenses e da classe política. De acordo com ele, só foi possível executar mais de 500 novas obras graças a um planejamento administrativo e financeiro bem feito.

O prefeito garantiu, ainda, que até o dia 31 deste mês continuará trabalhando pela cidade e seu povo. “Vamos entregar mais obras para população”, finalizou.

 

sem comentário »

Gil Cutrim amplia serviços de saúde em São José de Ribamar

pitangueira 1Dando continuidade ao trabalho de expansão dos serviços de saúde no município, o prefeito Gil Cutrim (PDT) inaugurou, nesta última quinta-feira (30), a Unidade Básica de Saúde do Residencial Pitangueiras, localizada na região da sede de São José de Ribamar.

 

A nova UBS possui equipe médica qualificada e é dotada de ótima estrutura (consultórios médicos, consultórios odontológicos, farmácia, auditório, sala de vacinação, sala de nebulização, área de estacionamento dentre outras dependências) para atender bem, além do Pitangueiras, moradores de bairros próximos.

 

Em menos de um ano, Cutrim ampliou a rede de saúde da cidade beneficiando à população com as entregas de quatro novas unidades (Nova Terra, Turiúba, Miritiua e Pitangueiras), sendo que até o fim deste ano outras sete (Parque Vitória, Mata, Cohatrac V, Pindaí, Quinta, J. Câmara e Recanto Verde) serão inauguradas.

 

“Hoje, sem nenhuma dúvida, o setor da saúde de São José de Ribamar possui avanços significativos que, em muito, estão contribuindo com o desenvolvimento do município e melhora da qualidade de vida do povo”, afirmou o prefeito.

 

Presente na cerimônia de inauguração, o vereador Ronildo, da cidade de Penalva, destacou o trabalho desenvolvido por Gil Cutrim.

 

De acordo com o parlamentar, é raro, hoje, no Maranhão, constatar que um prefeito em fim de mandato continua mantendo um ritmo de trabalho acelerado e valorizando a população com a entrega de novos equipamentos públicos.

 

“O que se constata na maioria dos estados são prefeitos em fim de mandato parados, sem fazer absolutamente nada. Aqui, em São José de Ribamar, é diferente. O prefeito Gil continua executando uma gestão transparente, pautada no respeito ao cidadão e levando mais benefícios para as comunidades”, avaliou.

 

Para o vereador ribamarense Nonato Lima, Cutrim continua trabalhando fortemente em favor do povo porque é um gestor que tem compromisso e que já registrou o seu nome como um dos prefeitos mais trabalhadores da história política de São José de Ribamar.

 

sem comentário »

Centro de Saúde de Peri de Baixo realiza ações de prevenção ao câncer de próstata

ImagemConsulta médica, aferição de pressão arterial, glicemia capilar (exame de diabetes) e orientações sobre prevenção do câncer de próstata foram algumas das atividades realizadas pelo Centro de Saúde Francisco Martins de Sousa, na manhã desta quarta-feira, 25, no distrito de Peri de Baixo.

 

A ação, que contou com o apoio da Prefeitura de Bacabeira, por meio da Secretaria de Saúde, faz parte da programação especial do “Novembro Azul”, para reforçar aos homens da cidade a importância da consulta médica e exames periódicos para a prevenção do câncer de próstata. Para o diretor do Centro de Saúde, Enfermeiro Leandro Pimentel, “os homens ainda são muito resistentes quando o assunto é exame de próstata. Mas é necessário desmistificá-lo, uma vez que a prevenção é um fator crucial no combate ao câncer”, disse.

 

Durante o evento, enfermeiros do programa de Estratégia Saúde da Família (ESF), sob o comando da enfermeira Núbia Raquel, e os agentes comunitários de saúde orientaram o público-alvo sobre como cuidar melhor da saúde. Também foram distribuídos kits de informações e realizado sorteio de camisas.

 

Mais de 50 pessoas solicitaram exames de ultrassonografia da próstata. Os procedimentos médicos serão realizados, a partir do dia 04 de dezembro, no próprio Centro de Saúde, de Peri de Baixo.

 

A secretária de Saúde, Tatá Torres, representou o prefeito Alan Linhares na ação. Segundo ela, a determinação do gestor municipal, é facilitar e ampliar o acesso da população masculina aos serviços de saúde. “A iniciativa atende um pedido do nosso prefeito, que é reforçar as ações preventivas durante todo este mês. A atual administração garante toda a estrutura para que a equipe de saúde possa se dedicar nas ações relacionadas ao câncer de próstata e à saúde do homem”, ressaltou.

sem comentário »

Doença pouco conhecida pode ser confundida com preguiça

preguiçaProlongar o tempo na cama por mais alguns minutinhos, logo após acordar, ou tirar algumas horas no fim de semana para relaxar, sem fazer nada, é um comportamento comum e sadio. Mas quando o desejo de permanecer deitado é constante, pode ser sinal de um distúrbio: a clinomania. O problema é caracterizado pelo desejo incontrolável de ficar deitado, dormindo ou não. E requer acompanhamento médico.

O diagnóstico não é simples e, geralmente, é feito por exclusão. “Como a clinomania pode ser facilmente confundida com outros males, como depressão e síndrome da fadiga crônica, é preciso fazer uma avaliação cuidadosa do quadro do paciente. Só após concluir que não se trata de nenhuma doença orgânica é que diagnosticamos o distúrbio”, explica Shigueo Yonekura, neurologista do Instituto de Medicina e Sono de Campinas e Piracicaba (SP).

Quem sofre de depressão também pode apresentar dificuldade na hora de sair da cama, mas por conta da melancolia, do desânimo e da falta de energia que são característicos da doença. Já no caso da fadiga crônica, segundo o psiquiatra Sergio Tamai, conselheiro da Associação Brasileira de Psiquiatria, o que contribui para que o paciente permaneça deitado é um cansaço persistente, que vem acompanhado por sintomas como dores musculares, cefaleia e fraqueza.

O clinomaníaco, por outro lado, sente-se muito confortável na cama, tem uma vontade imensa de ficar deitado e pode permanecer assim por dias –principalmente se o tempo estiver chuvoso e nublado– sem sofrer com os sinais clínicos que marcam as outras doenças. Porém, conforme afirma o psiquiatra Almir Ribeiro Tavares, coordenador do Departamento de Medicina do Sono da Associação Brasileira de Psiquiatria, a clinomania pode se estabelecer em associação com outras doenças.

Site UOL

sem comentário »